LIGUE-SE A NÓS

O QUE PROCURA ?

REGIÕES

AMARES: QUEDA DE HELICÓPTERO COM CRÍTICAS À SEGURANÇA DE VOO

A Associação de Proteção e Socorro (APROSOC) criticou hoje a “ausência de equipamento específico para a deteção de obstáculos no ar”, após um helicóptero que estava a combater um incêndio em Amares (Braga) ter-se despenhado.

blank

A Associação de Proteção e Socorro (APROSOC) criticou hoje a “ausência de equipamento específico para a deteção de obstáculos no ar”, após um helicóptero que estava a combater um incêndio em Amares (Braga) ter-se despenhado.

“Infelizmente esta queda em nada nos surpreendente, estes meios reportam frequentemente avarias em voo (…), colocando mesmo em causa as inspeções técnicas realizadas”, realçou o presidente da APROSOC, João Paulo Saraiva, em comunicado.

Para João Paulo Saraiva, a ausência de equipamento de detenção de obstáculos “continua a fazer vítimas e a revelar que nada se aprendeu com os acidentes anteriores em que outros pilotos ficaram feridos ou perderam a vida”.

O dirigente deu como exemplos os incêndios na Trafaria, no concelho de Almada (Setúbal), em que o sistema de água da aeronave não abria e de outro helicóptero, que combatia um fogo “no norte do país” e partiu a cauda na aterragem.

“Os pilotos destes meios [aéreos] devem ser as pessoas mais crentes na proteção divina, porque a proteção técnica deixa aparentemente muito a desejar”, observou.

João Paulo Saraiva deixou ainda a questão: “se uma aeronave pode ser tripulada somente pelo piloto, o que evita a queda até mesmo numa zona habitacional em caso de doença súbita do piloto?”.

Um helicóptero que estava a combater um incêndio no concelho de Amares, distrito de Braga, despenhou-se ao final da tarde de hoje na freguesia de Caldelas, disse à agência Lusa o autarca local.

Segundo o presidente da Câmara de Amares, Manuel Moreira, que se encontra próximo da zona do acidente, o aparelho caiu na União de Freguesias de Paranhos e Caldelas, na localidade de Real, quando combatia um incêndio no concelho.

O piloto do helicóptero “está consciente e colaborante”, disseram à agência Lusa fontes de socorro.

Segundo estas fontes, a equipa médica já está junto do piloto.

Fonte ligado ao setor da aviação acrescentou à Lusa, pelas 21:00, que o piloto ainda se encontrava encarcerado no helicóptero, dando conta de que a viatura de desencarceramento não conseguia chegar ao local do acidente.

Segundo a mesma fonte, o aparelho trata-se de um Bell 412, operado pela Helibravo e sediado nos Arcos de Valdevez, distrito de Viana do Castelo, e que o acidente aconteceu “após a última largada do dia” e depois de “embater num cabo de muito alta tensão”.

Quer comentar ?

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

REGIÕES

O tribunal de Bragança remarcou para 17 de fevereiro a leitura do acórdão do julgamento sobre a morte do jovem cabo-verdiano Luís Giovani, que...

REGIÕES

Os alunos do ensino secundário que residam a mais de três quilómetros da escola vão ter transporte gratuito a partir de fevereiro, informou hoje...

REGIÕES

Uma marcha com alguns milhares de agricultores e tratores percorreu hoje o centro da cidade de Mirandela num protesto com assobios ao Governo contra...

REGIÕES

A Câmara de Lisboa aprovou, esta quarta-feira, a criação do “Cabaz Bebé”, medida dirigida às famílias beneficiárias do Rendimento Social de Inserção com filhos...

RÁDIO REGIONAL

blank


DESPORTO DIRETO


LINHA CANCRO

RÁDIO REGIONAL


EMISSÃO NACIONAL



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER




EMISSÃO REGIONAL



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER




WEBRÁDIOS TEMÁTICAS



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER