LIGUE-SE A NÓS

O QUE PROCURA ?

REGIÕES

VILA NOVA DE FOZ CÔA: NÍVEIS DE ÁGUA CRÍTICOS NA ALBUFEIRA DE RANHADOS

O município de Foz Côa mostrou-se hoje preocupado com os níveis “muito críticos” de armazenamento de água existentes na albufeira da barragem de Ranhados que abastece aquele concelho, disse à Lusa o vice-presidente da câmara.

blank

O município de Foz Côa mostrou-se hoje preocupado com os níveis “muito críticos” de armazenamento de água existentes na albufeira da barragem de Ranhados que abastece aquele concelho, disse à Lusa o vice-presidente da câmara.

“O ponto de rutura será atingido já no mês de setembro, caso se continuem a registar os consumos atuais diários de 640 litros/dia, de água por pessoa, quando o desejável deveria ser 200 litros/dia”, explicou Pedro Duarte.

O autarca do distrito da Guarda, indica ainda que, “caso não chova nem se registem alterações ao consumo, as previsões para o mês de setembro [são que] a água não chegará às torneiras dos habitantes do concelho de Foz Côa”.

“As alterações climáticas e falta de chuva fizeram com que os níveis de água na barragem de Ranhados, situada no vizinho concelho da Meda, baixassem para níveis verdadeiramente alarmantes e poderemos ficar, a curto prazo, com sérios problemas no abastecimento de água às populações”, vincou o autarca.

De acordo com Pedro Duarte, apesar das medidas que têm vindo a ser tomadas nos últimos dois meses pelo conjunto dos municípios abastecidos por esta albufeira – Foz Côa, Mêda (Guarda), São João da Pesqueira (Viseu) e uma freguesia de Tabuaço (Viseu) – “a verdade é que os consumos de água se agravaram, principalmente no que diz respeito a Foz Côa”, disse.

“No concelho de Foz Côa, há três freguesias que não são abastecidos por esta barragem, como Orgal, Alemendra e Castelo Melhor, mas a situação é preocupante”, vincou.

Agora, os municípios que são abastecidos de água por esta barragem estão a articular “estratégias” para manter o abastecimento de água à rede pública.

Por seu lado, o município de Vila Nova de Foz apelou, através de nota publicada nas suas redes socais, ao “uso consciente e responsável da água e para a não utilização para outro fim que não o doméstico”.

“Só o uso consciente deste bem tão precioso e essencial à vida, pode mitigar este problema grave que afetará todos num futuro bem próximo”, justificou aquela autarquia no mesmo documento.

Segundo Pedro Duarte, “cada gesto poderá fazer a diferença, tendo mesmo a autarquia congelado para setembro eventos públicos, as fontes de águas existentes no concelho estão fechadas, as regas dos jardins foram suspensas, os equipamentos desportivos encerraram os balneários e há uma campanha em curso para deteção de fugas de água na rede pública de abastecimento”.

Quer comentar ?

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

REGIÕES

O tribunal de Bragança remarcou para 17 de fevereiro a leitura do acórdão do julgamento sobre a morte do jovem cabo-verdiano Luís Giovani, que...

REGIÕES

Os alunos do ensino secundário que residam a mais de três quilómetros da escola vão ter transporte gratuito a partir de fevereiro, informou hoje...

REGIÕES

Uma marcha com alguns milhares de agricultores e tratores percorreu hoje o centro da cidade de Mirandela num protesto com assobios ao Governo contra...

REGIÕES

A Câmara de Lisboa aprovou, esta quarta-feira, a criação do “Cabaz Bebé”, medida dirigida às famílias beneficiárias do Rendimento Social de Inserção com filhos...

RÁDIO REGIONAL

blank


DESPORTO DIRETO


LINHA CANCRO

RÁDIO REGIONAL


EMISSÃO NACIONAL



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER




EMISSÃO REGIONAL



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER




WEBRÁDIOS TEMÁTICAS



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER