Ligue-se a nós

DESPORTO

BOAVISTA EM RISCO DE EXCLUSÃO DA PRIMEIRA LIGA – CHAVES E VIZELA ATENTOS

O centenário Boavista Futebol Clube (BFC) está em sério risco de exclusão das provas profissionais da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (Liga Portugal). Já se conheciam algumas das dívidas a funcionários (inclui atletas, técnicos/treinadores) e penhoras – que só as mais recentes ascendem a aproximadamente um milhão de euros – mas agora há um novo “braço-de-ferro” que promete excluir o Boavista da Primeira Liga.

Online há

em

O centenário Boavista Futebol Clube (BFC) está em sério risco de exclusão das provas profissionais da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (Liga Portugal). Já se conheciam algumas das dívidas a funcionários (inclui atletas, técnicos/treinadores) e penhoras – que só as mais recentes ascendem a aproximadamente um milhão de euros – mas agora há um novo “braço-de-ferro” que promete excluir o Boavista da Primeira Liga.

Dívidas e mais dívidas, é um filme que se repete todos os anos sempre que os clubes de futebol são confrontados com a obrigatoriedade de cumprir exigências regulamentares em sede de inscrição nas competições profissionais da Liga Portugal. Neste ano é o Boavista que – mais uma vez – está no centro das atenções.

Só em dois meses o Boavista foi alvo de 12 processos judiciais e/ou executivos para cumprimento de obrigações (dívidas) a funcionários (inclui atletas, técnicos/treinadores) e fornecedores. Há de tudo, desde atletas até um condominio. A Rádio Regional sabe que são mais de 30 processos que ameaçam a impossibilidade do BFC continuar a competir nas provas profissionais.

Dia 19 de março de 2024 a Liga Portugal aprovou o Manual de Licenciamento das Competições Profissionais 2024/2025 que é uma compilação das várias regras e/ou regulamentos exigíveis a todos os clubes que militam na Primeira e Segunda Liga cabendo apenas ao Tribunal Arbitral do Desporto resolver litígios da sua aplicação.

A todos os clubes é exigido cumulativamente:

  • Inexistência de dívidas a outras Sociedades Desportivas.
  • Inexistência de dívidas a jogadores, treinadores e funcionários.
  • Regularidade da situação contributiva perante a Autoridade Tributária (AT) e a Segurança Social (SS).

As dívidas a “jogadores, treinadores e funcionários” não são propriamente novidade, já dívidas ao Estado, nomeadamente Autoridade Tributária e Segurança Social são manifestamente impeditivas do BFC sobreviver no mundo das competições profissionais como adiante se perceberá.


UMA “CHUVA” DE PROCESSOS JUDICIAIS

A Rádio Regional encontrou vários processos em tribunal contra o Boavista FC, na sua maioria no Tribunal de Trabalho e alguns em fase de penhora/execução de créditos reconhecidos, considerando que se trata de dívidas a trabalhadores (incluindo atletas) num montante aproximado de 775 mil euros.

Estes são apenas os mais recentes processos e valores peticionados contra o emblema boavisteiro numa longa lista de outros credores:

Artur Jorge de Paiva Bento Junqueira: 3 372,16 € (penhora)

Condomínio do Edifício Villa Bessa I |  4 919,12 € (penhora)

Team Of Future, Lda: 338 657,27 €

Susana Alexandra Rodrigues Chaves: 17 795,05 € (penhora)

Carlos Alberto Jorge Fernandes: 13 172,29 €

Vitor Hugo – Gestão e Coordenação de Projectos, S.A: 5 559,60 € (penhora)

João António Soares de Freitas: 32 500,00 €

João Manuel Dinis Guedes: 8 498,12 €

Tiago César Moreira Pereira: 284 613,24 € (penhora)

Maria Augusta Oliveira Carvalho Moreira: 9 213,00 €

Ana Paula Mendes Freitas Fernandes: 59 545,85 €

Pedro André Rocha de Sousa: 10 962,28 €


VÍTOR MURTA E A SEGURANÇA SOCIAL

Vítor Murta demitiu-se tarde demais e consigo arrastou o BFC para um colapso anunciado. Gérard Lopez (acionista maioritário) não teve escolha, convocou uma Assembleia Geral para amanhã 7 de maio e eventualmente nomear o seu “discípulo” Fary Faye para “tapar o sol com a peneira” como se diz nos corredores do Bessa.

Em causa estão enormes dívidas à segurança social que a Administração de Vitor Murta não pagou. Sem mais espaço este gestor demitiu-se.

A Rádio Regional falou com a Segurança Social que confirma a “Existência de dívidas em incumprimento reiterado” disse fonte deste Serviço Público que foi mais longe “Neste momento não há condições para novos acordos de pagamento considerando o histórico de incumprimento desta entidade” o que significa que o Boavista ou paga integralmente as dívidas à Segurança Social ou está fora das competições profissionais.

Alternativas de prestação de garantia parecem também inviáveis considerando a longa lista de penhoras que pouco ou nada deixa de fora garantia idónea que sirva a um eventual novo acordo – mas improvável às condições atuais – com a Segurança Social.

Até final de junho o Boavista corre contra o tempo.

Gérard Lopez parece estar consciente do colapso eminente do Boavista e prepara-se para lançar o Senegalês Fary Faye (que já fazia parte da direção do BFC) para a liderança, contudo a solução dos problemas do BFC exigem muito dinheiro. Mas nem Fary escapa às dúvidas de sócios do Boavista quanto à “transparência” dos seus negócios no Senegal.

A família “Loureiro” veio a público apoiar a opção “Senegalesa” sem alternativa viável a uma provável insolvência do BFC caso falhe a inscrição nas Competições Profissionais.

A Segurança Social relembra a responsabilidade criminal dos Administradores/Gerentes, que não se referindo especificamente ao caso, alerta que além do pagamento das dívidas também respondem criminalmente por abuso de confiança.

A Rádio Regional falou com o Boavista Futebol Clube que confirmou a existência de dívidas, nomeadamente à Segurança Social, deixando a garantia que irá a devido tempo cumprir com todas as exigências do Licenciamento de Competições Profissionais da Liga Portugal.

Vítor Murta nunca atendeu os contactos da Rádio Regional até ao fecho desta reportagem.

Gérard Lopez (à esquerda) e Vítor Murta (à direita).


GD CHAVES, VIZELA e PORTIMONENSE “ATENTOS”

A Rádio Regional sabe que os já desportivamente despromovidos Grupo Desportivo de Chaves e Futebol Clube de Vizela estão atentos à situação, e ambos recusaram declarações, mas em “off” assumiram que estão atentos. Também o Portimonense, em tese, poderá ser beneficiado com a eventual exclusão do Boavista das provas profissionais por incumprimento dos pressupostos financeiros necessários à inscrição dos clubes nas competições profissionais.

Vítor Fernandes


VEJA AINDA:

BOAVISTA FC: DEPOIS DO “CONTROLO SALARIAL” UM NOVO PEDIDO DE INSOLVÊNCIA

BOAVISTA EM INCUMPRIMENTO ARRISCA INSOLVÊNCIA E EXCLUSÃO DA LIGA – INVESTIGAÇÃO

BOAVISTA: ASSEMBLEIA GERAL ELEGE FARY FAYE PRESIDENTE

BOAVISTA EM RISCO DE EXCLUSÃO DA PRIMEIRA LIGA – CHAVES E VIZELA ATENTOS

Publicidade

HELPO, EU CONSIGNO EU CONSIGO, IRS 2024
ASSOCIAÇÃO SALVADOR, HÁ 20 ANOS A TIRAR SONHOS DO PAPEL

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

DESPORTO

PRIMEIRA LIGA: BENFICA DESPEDE-SE DA ÉPOCA 23/24 EM CASA DO RIO AVE

O Benfica, campeão cessante, disputa hoje o último jogo na época futebolística 2023/24, ao defrontar o Rio Ave na 34.ª e derradeira jornada da I Liga, com a certeza de terminar no segundo lugar, atrás do Sporting.

Online há

em

O Benfica, campeão cessante, disputa hoje o último jogo na época futebolística 2023/24, ao defrontar o Rio Ave na 34.ª e derradeira jornada da I Liga, com a certeza de terminar no segundo lugar, atrás do Sporting.

Os ‘encarnados’ têm oito pontos de atraso em relação aos ‘leões’ e já não poderão evitar a passagem do testemunho ao rival lisboeta, enquanto o FC Porto, terceiro classificado, está ainda mais distante, a 10 pontos, pelo que o campeão da época passada se limitará a cumprir calendário no estádio do 10.º colocado.

O jogo entre Rio Ave e Benfica começa a disputar-se às 20:45, duas horas depois do início do confronto entre Famalicão, também já sem possibilidade de deixar a atual oitava posição, e Casa Pia, 12.º posicionado, que ainda pode subir ou descer na classificação, mas já tem a manutenção assegurada.

O Sporting despede-se no domingo do campeonato que conquistou, ao receber o lanterna-vermelha Desportivo de Chaves, no mesmo dia em que se decidirá a última equipa do pódio, no embate entre Sporting de Braga e FC Porto, com vantagem para os portuenses, que estão um ponto acima dos bracarenses.

Programa da 34.ª e última jornada da I Liga:

– Sexta-feira, 17 mai:

Famalicão – Casa Pia, 18:45

Rio Ave — Benfica, 20:45

– Sábado, 18 mai:

Boavista — Vizela, 15:30

Estrela da Amadora – Gil Vicente, 15:30

Farense — Portimonense, 15:30

Arouca – Vitória de Guimarães, 15:30

Sporting – Desportivo de Chaves, 18:00

Moreirense – Estoril Praia, 18:00

Sporting de Braga – FC Porto, 20:30 (Direto na Rádio Regional)

LER MAIS

DESPORTO

BOAVISTA EM INCUMPRIMENTO ARRISCA INSOLVÊNCIA E EXCLUSÃO DA LIGA – INVESTIGAÇÃO

O Boavista Futebol Clube (BFC) atravessa momentos difíceis dentro e fora das quatro linhas. Processos judiciais por dívidas a funcionários (inclui atletas e/ou treinadores) e vários pedidos de insolvência por parte de credores deixaram o BFC sem saída. A Autoridade Tributária e Segurança Social confirmam o incumprimento e os demais credores insistem nos créditos que alegam por direito.

Online há

em

O Boavista Futebol Clube (BFC) atravessa momentos difíceis dentro e fora das quatro linhas. Processos judiciais por dívidas a funcionários (inclui atletas e/ou treinadores) e vários pedidos de insolvência por parte de credores deixaram o BFC sem saída. A Autoridade Tributária e Segurança Social confirmam o incumprimento e os demais credores insistem nos créditos que alegam por direito.

O “fim da linha” tinha data e hora marcada. O BFC tinha até ontem para fazer prova documental obrigatória do cumprimento dos pressupostos exigidos pela Liga. O incumprimento mantém-se. O Campeão Nacional 2000/2001 está em risco de insolvência e exclusão das competições profissionais.


UMA CORRIDA CONTRA O TEMPO

O Manual de Licenciamento das Competições Profissionais 2024/2025 foi aprovado pela Liga em 19 de março de 2024 (do qual o BFC faz parte) e representa um conjunto de Critérios Legais e Financeiros (pressupostos) exigíveis aos clubes que pretendam competir nas provas profissionais na época 2024/2025.

Todos os clubes tinham até às 23.59 de 15 de maio (ontem) que fazer prova documental obrigatória do cumprimento dos pressupostos exigidos pelo Manual de Licenciamento da Liga. Documentos esses que podiam ser carregados em plataforma própria disponibilizada pela Liga de Clubes dentro dos prazos regulamentados.

A Rádio Regional sabe que o BFC não fez prova do cumprimento da inexistência de dívidas ao Estado, considerando que à data de hoje continua em incumprimento perante a Segurança Social e Autoridade Tributária. 

O calvário boavisteiro promete ser longo. Após nove Pedidos de Insolvência e dezenas de Processos Executivos (penhoras) a “Pantera” apresentou-se mais uma vez a Processo Especial de Revitalização (PER) onde no meio da longa lista de credores figura a Autoridade Tributária, Segurança Social, Empresas Municipais, Associação de Andebol do Porto, Parvaloren (BPN), Somague, GoldEnergy, EDP Serviço Universal, Águas do Porto e várias empresas/fornecedores e ex-funcionários.


A “MANUTENÇÃO DESPORTIVA” NÃO BASTA

Até às 23:59 do dia 15 de maio (ontem) o Boavista não fez prova de situação regularizada perante o Estado. A Rádio Regional sabe que pelo menos formalmente, o BFC não está em condições de fazer prova da sua situação regularizada junto da Segurança Social.

Sem prejuízo de outras diligências processuais e executivas, pode o devedor a qualquer momento promover o pagamento voluntário das quantias em dívida, não podemos afirmar que não estejam em curso diligências nesse sentido, mas neste dia [16] a entidade em causa [BFC] não tem formalmente a sua situação regularizada” garantiu fonte da Segurança Social.

Sobre o PER a Segurança Social não comenta mas garante que “nesta fase processual e até homologação [do plano de revitalização] o devedor mantém-se em incumprimento“, ou seja, à data de hoje o BFC continua formalmente em incumprimento.

Por sua vez o Boavista FC garante que cumpriu “todas as exigências obrigatórias para esta fase” disse fonte dos axadrezados. Confrontados com os pagamentos em falta a funcionários em tribunal (inclui atletas e treinadores) pedidos de insolvência e PER o BFC recusou-se a responder.

No passado dia 6 de maio o Boavista Futebol Clube confirmou a existência de dívidas, nomeadamente à Segurança Social, deixando a garantia que “vamos cumprir com todas as exigências do Licenciamento de Competições Profissionais da Liga Portugal” assegurou o clube.

A Rádio Regional sabe que até à data (16 de maio) o BFC continua em dívida à Autoridade Tributária e a Segurança Social. A Rádio Regional solicitou consulta às Certidões da Autoridade Tributária e Segurança Social (documentos públicos) mas o BFC recusou-se a apresentá-las ou facultar acesso e/ou consulta.


QUAIS AS FASES E OS PRAZOS ?

O Manual de Licenciamento das Competições Profissionais 2024/2025 define um conjunto de “critérios” exigíveis aos clubes que cumprindo outros critérios desportivos possam inscrever-se na Primeira e Segunda Ligas.

Os “critérios” dividem-se por vários tipos:

  • Desportivos (Classificação desportiva e eventuais decisões judiciais)
  • Legais (Primeira e Segunda Fase)
  • Estruturais (estádios)
  • Financeiros (Primeira e Segunda Fase)

Mereceu a nossa atenção jornalística ao cumprimento dos Critérios Financeiros que se dividem por duas fases:

  • Documentação exigida na FASE 1 deve ser entregue até 31 de março de 2024.
  • Documentação exigida na FASE 2 deve ser entregue até 15 de maio de 2024.

Em ambas as fases, os clubes estão obrigados a fazer prova da inexistência de dívidas aa funcionários (inclui atletas e treinadores), a outras sociedades desportivas e ao estado.

Os clubes estão ainda obrigados à exibição das respetivas “Certidões comprovativas da regularidade da situação contributiva da CANDIDATA, quer perante a Autoridade Tributária, quer perante a Segurança Social” tal como se pode ler na página 31 a 38 do respetivo Manual de Licenciamento.

Até 03 de junho poderão os clubes suprir eventuais deficiências relativas à documentação exigida nos prazos estipulados.

A Liga pronuncia-se até 28 de junho sobre os clubes admitidos nas Competições Profissionais, podendo os visados recorrer para o Tribunal Arbitral do Desporto em caso de diferendo.

Porém os especialistas em Direito Desportivo dividem-se quanto à “supressão” de eventuais deficiências mas todos concordam, o BFC está agora com um pé fora da Primeira Liga.

Os advogados com quem a Rádio Regional falou consideram por unanimidade que até 3 de junho os clubes podem suprir deficiências relativas à documentação exigida em sede de inscrição dos “clubes candidatos” até 15 de maio, porém, divergem quanto aos limites das deficiências nomeadamente “no que toca à prova de inexistência de dívidas ao estado [Autoridade Tributária e Segurança Social] as certidões devem estar dentro prazo de validade e emitidas com data igual ou anterior a 15 de maio (…) ainda que tais certidões venham a ser juntas no prazo excecional até 3 de junho” esclarecem.

O maior dos problemas [do Boavista] será mesmo os timings processuais do PER (…) Será muito difícil que depois de observados todos os prazos processuais que envolve tantos credores e notificações, mesmo sem incidentes processuais, que haja um PER aprovado [transitado] a tempo útil” alertam os homens da lei.

Confrontado com estes novos factos, o Boavista recusou-se a qualquer comentário e/ou esclarecimento.


OS PROCESSOS, AS DÍVIDAS E A INSOLVÊNCIA IMINENTE

A Rádio Regional que há muito investiga o BFC reuniu uma verdadeira chuva de processos judiciais por alegados incumprimentos perante fornecedores, funcionários (inclui atletas e treinadores) e Estado. Surpreendentemente em meio ano acumularam-se nos tribunais mais de 30 processos judiciais na sua maioria Tribunal do Trabalho, oito pedidos de insolvência e por estes dias um Processo Especial de Revitalização (PER) que conta com aproximadamente 50 novos credores.

Sem grandes alternativas, Gérard Lopez (acionista maioritário do BFC) recorreu aos “santos da casa” para fazer milagres. Fary Fye até então diretor de “segunda linha” foi eleito Presidente do Conselho de Administração na Assembleia Geral de 07 de maio por ampla maioria que contou com 92,37% do capital representado. O ex-jogador da Seleção do Senegal e também ex-Diretor do Boavista do “reinado” de Vítor Murta, recebe de “herança” um PER, uma velha solução a que o Boavista já recorreu em 2013, 2018 e 2022 também por Murta mas em “timings” e circunstâncias diferentes.

A história recente não é favorável aos clubes que de PER em PER acabam despromovidos das Competições Profissionais. Em 2020 o Vitória de Setúbal acabou despromovido após uma sucessão de vários Processos Especiais de Revitalização acabando por também não fazer prova da inexistência de dívidas às Autoridade Tributária (e não só).

O Processo Especial de Revitalização (PER) é um instrumento alternativo à insolvência ao qual as empresas em situação económica difícil ou de insolvência iminente podem recorrer, com o objetivo de estabelecer negociações com os seus credores de forma a definir e acordar condições que concorram para a viabilização do seu processo de reestruturação. Podem recorrer ao PER as empresas que comprovadamente se encontrem em situação económica difícil ou de insolvência meramente iminente, mas que ainda reúnam condições de recuperação.  Mas a decisão é sempre dos credores.

No passado dia 9 de maio o tribunal nomeou a Administradora Judicial Provisória, Maria Clarisse da Silva Barros, com todo “direito de acesso à sede e às instalações empresariais da empresa e de proceder a quaisquer inspeções e a exames, designadamente dos elementos da sua contabilidade. A empresa [BFC] fica obrigada a fornecer-lhe todas as informações necessárias ao desempenho das suas funções” pode ler-se no despacho assinado por Juiz de Direito a que a Rádio Regional teve acesso.

O BFC já não depende de si, mas daquilo que os credores venham a decidir, entre os quais ex-Trabalhadores, Autoridade Tributária e a Segurança Social.

Entretanto o Boavista anunciou que pagou a dívida de 217.290,55 € ao Moreirense SAD relativa ao atleta Ibrahima Camará – a Rádio Regional confirmou junto do Moreirense que a dívida foi efetivamente paga – mas não responde à Rádio Regional quanto a todos os demais credores que são uma ampla maioria das dívidas do clube.

O Presidente Fary Fye sempre disponível para interagir com adeptos que assistem aos treinos do clube, e apesar da insistência da Rádio Regional, não mostrou qualquer disponibilidade para esclarecer os processos judiciais em que o Boavista está envolvido.

Com futuro incerto o Boavista apresenta-se no Bessa no próximo Sábado às 15:30 num jogo decisivo frente ao Vizela. O BFC entra na última jornada em 14º lugar com 31 pontos obrigado a vencer o penúltimo classificado com 25 pontos. Também o Portimonense precisa de vencer o Farense num “curioso” dérbi algarvio e o Estrela da Amadora em casa também está obrigado a vencer o Gil Vicente.

Vítor Fernandes


VEJA AINDA:

BOAVISTA FC: DEPOIS DO “CONTROLO SALARIAL” UM NOVO PEDIDO DE INSOLVÊNCIA

BOAVISTA EM INCUMPRIMENTO ARRISCA INSOLVÊNCIA E EXCLUSÃO DA LIGA – INVESTIGAÇÃO

BOAVISTA: ASSEMBLEIA GERAL ELEGE FARY FAYE PRESIDENTE

BOAVISTA EM RISCO DE EXCLUSÃO DA PRIMEIRA LIGA – CHAVES E VIZELA ATENTOS

LER MAIS
Subscrever Canal WhatsApp
RÁDIO ONLINE
ASSOCIAÇÃO SALVADOR, HÁ 20 ANOS A TIRAR SONHOS DO PAPEL
LINHA CANCRO

DESPORTO DIRETO

RÁDIO REGIONAL NACIONAL: SD | HD



RÁDIO REGIONAL VILA REAL


RÁDIO REGIONAL CHAVES


RÁDIO REGIONAL BRAGANÇA


RÁDIO REGIONAL MIRANDELA


MUSICBOX

WEBRADIO 100% PORTUGAL


WEBRADIO 100% POPULAR


WEBRADIO 100% LOVE SONGS


WEBRADIO 100% BRASIL


WEBRADIO 100% OLDIES


WEBRADIO 100% ROCK


WEBRADIO 100% DANCE


WEBRADIO 100% INSPIRATION

KEYWORDS

ASSOCIAÇÃO SALVADOR, HÁ 20 ANOS A TIRAR SONHOS DO PAPEL
NARCÓTICOS ANÓNIMOS
PAGAMENTO PONTUAL

MAIS LIDAS