Ligue-se a nós

DESPORTO

FC PORTO X CASA PIA AC: ANÁLISE DE JOSÉ AUGUSTO SANTOS

O FC do Porto na ressaca da eliminação da Taça da Liga, entra forte, marca por Evanilson e faz a gestão do jogo de forma segura, a pensar na conquista dos 3 pontos e no decisivo jogo de quarta-feira contra o Shakhtar. O Casa Pia tentou responder, mas cometeu erros defensivos, pouco habituais, que hipotecaram a possibilidade de discutir o resultado e nunca demonstrou capacidade para pôr em causa a vitória portista.

Online há

em

O FC do Porto na ressaca da eliminação da Taça da Liga, entra forte, marca por Evanilson e faz a gestão do jogo de forma segura, a pensar na conquista dos 3 pontos e no decisivo jogo de quarta-feira contra o Shakhtar. O Casa Pia tentou responder, mas cometeu erros defensivos, pouco habituais, que hipotecaram a possibilidade de discutir o resultado e nunca demonstrou capacidade para pôr em causa a vitória portista.

Sérgio Conceição deu a titularidade a Ivan Jaime na tentativa de tornar a equipa mais criativa e imprevisível no último terço, manteve a aposta em Zé Pedro e João Mendes oriundos da equipa B e com João Mário lesionado, Jorge Sánchez ocupou a posição de defesa direito. Só os indiscutíveis Pepe e Diogo Costa integraram o 11 dos habituais defesas titulares.

No duo de meio-campo o treinador portista manteve a aposta em Eustáquio e Varela, substituído na segunda parte por dificuldades físicas e precaução por Gruijc e manteve aquela que é a melhor dupla de avançados Taremi e Evanilson na perspetiva de que, com confiança, o entendimento e conhecimento pode fazer a diferença para melhorar a criação e a eficácia na finalização. Pepê jogou na posição híbrida de ala/médio interior com total liberdade de movimentos.

A entrada forte no jogo tornou-se decisiva porque Evanilson depois de excelente passe de Stephen Eustáquio abriu o marcado e tranquilizou aquilo que se poderia tornar complicado, com o passar dos minutos sem marcar, a equipa poderia ficar ansiosa e instável que naturalmente iria favorecer a estratégia do Casa Pia que, apesar da recente mudança da sua equipa técnica manteve a estrutura de 3 centrais que no jogo de hoje não se exibiram ao nível habitual, revelando muita passividade nos 3 golos sofridos, todos marcados na zona de pequena área, trocou Larranzabal e Paulo Roberto por André Geraldes e Beni Mukendi na tentativa de dar maior solidez defensiva, que não surtiu efeito e no ataque teve dificuldades nas transições, onde só Clayton foi capaz de ganhar duelos individuais e criar oportunidades para marcar.

O Porto geriu a vantagem até ao intervalo, dominando e sendo mais forte em todas as estatísticas do jogo e no início da segunda parte foi eficaz no aproveitamento de mais um erro dos centrais casapianos. Varela era o que estava mais próximo de Zé Pedro, deixou o central portista à vontade para, com um bom cabeceamento, marcar o 2º golo e serenar ainda mais a equipa portista. O Casa Pia tentou marcar um golo que lhe pudesse abrir a possibilidade de discutir o resultado, Pedro Moreira trocou os 2 médios e os 3 jogadores mais adiantadas com a intenção de dar maior frescura física, velocidade e profundidade ao ataque. Fez entrar, Jájá, Fernando Andrade e Felippe Cardoso, mas o jogo já estava perdido e seria Pepe, o melhor em campo, a fazer o terceiro golo e a dissipar as possíveis dúvidas sobre o vencedor do encontro. A equipa lisboeta ainda reduziu na marcação de um penalti indiscutível convertido de forma superior pelo ex-jogador do FC Porto, Fernando Andrade, numa fase em que Sérgio Conceição geria a equipa a pensar no jogo da Liga dos Campeões.

Advertisement

Pepe, Eustáquio que fez a assistência para o primeiro e terceiro golo, Evanilson e Zé Pedro, que iniciou com um bom passe para Eustáquio, cruzar para Evanilson, no 1º golo, e de cabeça marcou o segundo, foram os melhores no Porto.

Clayton foi o melhor no Casa Pia, merecia ter marcado naquele remate ao poste depois de excelente rotação a retirar do caminho Zé Pedro, Zolotic e Ricardo Batista sem culpas nos golos sofridos, foram os únicos que aproximaram do rendimento habitual, de uma exibição coletiva pouco conseguida da equipa lisboeta.

João Gonçalves comete um erro grave ao não assinalar a falta de Pepe sobre Clayton que se ia a isolar e por consequência, ficou por mostrar o cartão vermelho ao central portista.


José Augusto Santos, Comentador Desportivo e Treinador de Futebol Nível IV UEFA Pro.

Advertisement
Advertisement
DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

DESPORTO

LIGA DOS CAMPEÕES: FC PORTO VENCE ARSENAL COM GOLO DE GALENO AOS 90+4

Um golo de Galeno, em tempo de compensação, deu hoje ao FC Porto a vitória por 1-0 sobre o Arsenal, na primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, no Estádio do Dragão.

Online há

em

Um golo de Galeno, em tempo de compensação, deu hoje ao FC Porto a vitória por 1-0 sobre o Arsenal, na primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, no Estádio do Dragão.

O tento do triunfo surgiu no derradeiro minuto dos ‘descontos’, aos 90+4, permitindo que os ‘dragões’, campeões europeus em 1987 e 2004, entrem em vantagem no encontro da segunda mão, agendado para 12 de março, em Londres.

O FC Porto procura superar os ‘oitavos’ da ‘Champions’ pela sexta vez, depois de 2003/04, 2008/09, 2014/15, 2018/19 e 2020/21.

LER MAIS

DESPORTO

BENFICA: SCHMIDT DESTACA “BOA FASE” DA EQUIPA MOTIVADA PARA OS “OITAVOS”

O treinador Roger Schmidt destacou hoje a boa fase que o Benfica atravessa, pelo que espera dar continuidade ao momento no encontro com os franceses do Toulouse, rumo aos oitavos de final da Liga Europa em futebol.

Online há

em

O treinador Roger Schmidt destacou hoje a boa fase que o Benfica atravessa, pelo que espera dar continuidade ao momento no encontro com os franceses do Toulouse, rumo aos oitavos de final da Liga Europa em futebol.

Na passada semana, no Estádio da Luz, dois penáltis concretizados pelo argentino Ángel Di María, aos 68 e 90+8 minutos, com um tento do dinamarquês Mikkel Desler pelo meio, aos 75, selaram o 2-1 a favor das ‘águias’, mas, na quinta-feira, em Toulouse, o desafio da segunda mão do play-off será “diferente”.

“Espero um jogo difícil, porque a segunda mão de um jogo a eliminar é sempre diferente e difícil. A abordagem será um pouco diferente, eles precisam de golos para continuar e têm de atacar um pouco mais. Acreditamos em nós, queremos jogar o nosso futebol ofensivo e mostrar durante os 90 minutos que merecemos continuar na competição”, perspetivou, em conferência de imprensa.

E acrescentou: “A equipa está muito motivada. Estamos a atravessar uma boa fase e estamos bem o suficiente para vencermos o jogo”.

Para ultrapassar, novamente, o 13.º classificado da Liga francesa, as ‘águias’ vão ter de “jogar sempre com intensidade e transições”, de forma a “colocar o jogo longe” da sua área, segundo Schmidt.

Advertisement

A mãe do médio João Neves faleceu recentemente, com o treinador a mostrar-se solidário, embora sem garantir a titularidade do internacional luso em Toulouse.

“Muito chocado e triste. Estamos todos compreensivos sobre a decisão dele de treinar e jogar, porque era o que queria. A vida continua, estamos com ele e vamos falar antes de tomar a decisão sobre se joga ou não”, terminou.

O guarda-redes Trubin falou aos jornalistas antes do técnico germânico, para vincar que o objetivo dos ‘encarnados’ passa pela qualificação para os oitavos de final da competição.

“Todas as competições são muito importantes para o Benfica. O foco é vencer o Toulouse e avançar para a próxima fase. Espero que não seja necessário irmos a penáltis para ultrapassarmos a eliminatória”, expressou.

O Toulouse recebe o Benfica na quinta-feira, em jogo da segunda mão do play-off de acesso aos oitavos de final da Liga Europa, com início às 17:45 (hora de Lisboa), que será arbitrado pelo italiano Maurizio Marinai.

Advertisement
LER MAIS

MAIS LIDAS