Ligue-se a nós

INTERNACIONAL

PAPA CRITICA ESPECULAÇÃO E PRECARIEDADE COMO NOVAS FORMAS DE POBREZA

O papa Francisco criticou esta terça-feira a especulação que “leva a um aumento dramático dos preços” e a precariedade laboral como novas formas de pobreza, na sua mensagem a propósito da VII Dia Mundial dos Pobres, a 19 de novembro.

Online há

em

O papa Francisco criticou esta terça-feira a especulação que “leva a um aumento dramático dos preços” e a precariedade laboral como novas formas de pobreza, na sua mensagem a propósito da VII Dia Mundial dos Pobres, a 19 de novembro.

“Não podemos ignorar as formas de especulação em diversos setores, que provocaram dramáticas subidas de preços que empobrecem ainda mais muitas famílias. O dinheiro gasta-se rapidamente, obrigando a sacrifícios que comprometem a dignidade de cada pessoa”, criticou o chefe da igreja católica.

No seu discurso, divulgado pelo Vaticano, o papa referiu-se à inflação que agrava a situação económica: “Se uma família tem que escolher entre comida para se alimentar ou cuidados médicos, devemos prestar atenção às vozes que defendem o direito a ambos em nome da dignidade da pessoa”.

Francisco pediu à sociedade que repare na “confusão ética que reina no mundo do trabalho”.

“O trato inumano que recebem muitos trabalhadores e trabalhadoras, a remuneração insuficiente pelo trabalho realizado, o flagelo da precariedade laboral, o excessivo número de mortes relacionadas com acidentes, muitas vezes consequência de uma mentalidade que prefere o lucro rápido à segurança no trabalho”, enumerou o papa.

Francisco recordou ainda o antigo papa João Paulo II, que defendia que o primeiro fundamento do valor do trabalho é o próprio homem, afirmando que “o homem está destinado ao trabalho” e que “o trabalho existe para o homem e não o homem para o trabalho”.

Dirigiu-se também às gerações mais jovens, as quais, segundo Francisco, sofrem com uma cultura que aumenta a sensação de pobreza e uma baixa autoestima.

“Não posso deixar de mencionar em particular uma forma cada vez mais evidente de pobreza que afeta os jovens. Quanta frustração e quantos suicídios estão a ser causados por ilusões criadas por uma cultura que leva os jovens a pensar que são ‘perdedores, bons para nada”, disse. O papa pediu realismo e pragmatismo nas ações dirigidas aos pobres.

“Também é uma tentação insidiosa ficar-se pelas estatísticas e pelos números. Os pobres são pessoas, têm rostos, histórias, corações, almas. São nossos irmãos e irmãs, com coisas boas e más, como todos nós, e é importante ter uma relação pessoal com cada um deles”, afirmou.

O VII Dia Mundial dos Pobres assinala-se este ano a 19 de novembro, sob o lema “Não desvies o olhar dos pobres”, em referência ao Livro de Tobias.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

INTERNACIONAL

KAMALA HARRIS ESPERA NOMEAÇÃO DEMOCRATA CONTRA TRUMP

A vice-presidente norte-americana, Kamala Harris, afirmou hoje pretender “merecer e ganhar” a nomeação do Partido Democrata às eleições presidenciais e derrotar o republicano Donald Trump, após ter recebido o apoio do desistente Joe Biden.

Online há

em

A vice-presidente norte-americana, Kamala Harris, afirmou hoje pretender “merecer e ganhar” a nomeação do Partido Democrata às eleições presidenciais e derrotar o republicano Donald Trump, após ter recebido o apoio do desistente Joe Biden.

“É uma honra receber a recomendação do Presidente e a minha intenção é merecer e ganhar esta nomeação”, disse Harris, numa declaração em que qualifica a decisão de Joe Biden abandonar a corrida de um “ato abnegado e patriótico”.

A desistência de Joe Biden a uma reeleição no cargo, hoje anunciada, acontece um mês antes da convenção dos Democratas, na qual deverá ser escolhido novo candidato. A convenção está marcada de 19 a 22 de agosto, em Chicago, e o que deveria ser uma confirmação de Joe Biden na corrida à Casa Branca transformou-se num “concurso aberto”, como escreveu a Associated Press, no qual 4.700 delegados vão votar num candidato para defrontar o republicano Donald Trump nas presidenciais de novembro.

LER MAIS

INTERNACIONAL

EUA: JOE BIDEN DESISTE DA REELEIÇÃO

O Presidente norte-americano, Joe Biden, o mais velho na história do país, desistiu da corrida às eleições presidenciais de novembro, justificando que a sua saída era do interesse do Partido Democrata e do país.

Online há

em

O Presidente norte-americano, Joe Biden, o mais velho na história do país, desistiu da corrida às eleições presidenciais de novembro, justificando que a sua saída era do interesse do Partido Democrata e do país.

O líder da Casa Branca tem 81 anos e a sua condição de saúde foi questionada, nomeadamente após um debate desastroso com o candidato republicano Donald Trump, que levantou dúvidas sobre a aptidão do atual Presidente para o cargo, quando faltam apenas quatro meses para as eleições.

A decisão de abandonar a corrida surge após uma pressão crescente dos aliados democratas de Biden para que este se afaste após o debate de 27 de junho, no qual o Presidente de 81 anos deu algumas vezes respostas sem sentido e não conseguiu chamar a atenção para as muitas falsidades do antigo presidente.

Biden apoiou a vice-presidente Kamala Harris, de 59 anos, para enfrentar Trump e encorajou o seu partido a unir-se em torno dela.

Joe Biden, que em janeiro de 2021 se tornou o Presidente mais velho na história dos Estados Unidos, aos 78 anos e 61 dias, anunciou em abril a sua recandidatura ao cargo, depois de quatro anos de uma liderança algo conturbada, anunciando aos 80 anos que tinha intenção de se manter no cargo até 2029.

Eleito em 1972 senador do Delaware pelo Partido Democrata, Joseph Robinette Biden Jr. teve desde cedo um diálogo com comunidades afro-americanas.

O “assalto” à Casa Branca ocorreu em três ocasiões: 1988, quando fracassou devido a acusações de plágio, 2008, quando acabou como ‘vice’ de Barack Obama, e, finalmente, em 2020, acabando por vencer o Presidente incumbente, Donald Trump.

Biden foi eleito em 2021 ao lado de Kamala Harris, a primeira mulher negra e de ascendência sul-asiática na vice-presidência.

Uma compilação de sondagens publicada pela RealClearPolitics dá a a Trump 47,7% contra 44,7% do seu potencial adversário democrata, com base na média de uma dezena de sondagens concluídas entre 02 e 18 de julho, resultado que está em linha com a distância adquirida por Trump após o debate televisivo entre ambos no final do mês passado.

LER MAIS

MAIS LIDAS