Ligue-se a nós

REGIÕES

PORTO: CRIMINALIDADE VIOLENTA E GRAVE AUMENTOU NA FREGUESIA DE RAMALDE

A criminalidade violenta e grave aumentou comparativamente ao ano passado na freguesia de Ramalde, no Porto, bem como o número de detenções relacionadas com tráfico de estupefacientes, revelou o Comando Metropolitano da PSP.

Online há

em

A criminalidade violenta e grave aumentou comparativamente ao ano passado na freguesia de Ramalde, no Porto, bem como o número de detenções relacionadas com tráfico de estupefacientes, revelou o Comando Metropolitano da PSP.

Em resposta à agência Lusa, o Comando Metropolitano da PSP do Porto adianta que a criminalidade violenta e grave aumentou de 35 para 50 casos entre janeiro e setembro de 2022 e o mesmo período deste ano, com base em dados da Direção-Geral da Política de Justiça (DGPJ) referentes à Esquadra do Viso.

Dos 50 crimes registados naquela zona, 49 foram roubos de diferentes tipologias (34 na via pública, 10 por esticão, uma viatura, duas farmácias e “dois diversos”) e um foi crime de resistência e coação sobre funcionário.

À semelhança da criminalidade violenta e grave, também o número de detenções aumentou naquela zona do Porto no período em análise, passando de nove para 11. As detenções levadas a cabo este ano prenderam-se com tráfico de estupefacientes, resistência e coação sobre funcionário e “outros crimes”.

No entanto, a criminalidade geral participada diminuiu, tendo sido participados 358 crimes em 2022 e 323 este ano. À semelhança da criminalidade participada, também o número de veículos furtados diminuiu, passando de 54 para 34.

À Lusa, o Comando Metropolitano do Porto garantiu que a PSP está “atenta e a trabalhar com o objetivo de garantir a segurança e a ordem pública no local, sem negligenciar as demais zonas da cidade”, tendo sido desenvolvidas ações de patrulhamento de proximidade e visibilidade, bem como operações de prevenção criminal.

Nas ações de patrulhamento e prevenção criminal estiveram envolvidos carros patrulha, Pelotões Operacionais, Equipas de Intervenção e Fiscalização Policial, Equipas da Divisão de Trânsito, Equipas de Prevenção e Reação Imediata (EPRI), Divisão de Investigação Criminal e Força Destacada da Unidade Especial de Polícia, acrescenta.

Contactada pela Lusa, a presidente da Junta de Freguesia de Ramalde, Patrícia Rapazote, admitiu que “os dados são preocupantes” e sustentam a perceção de insegurança sentida pelos moradores e comerciantes não em toda a freguesia, mas “em epicentros” de determinados tipos de crime.

Considerando que a PSP “tem feito um trabalho imenso com os recursos de que dispõe”, Patrícia Rapazote defendeu a necessidade de existir um reforço de efetivos na Esquadra do Viso e de mais policiamento de proximidade.

“Precisamos de um aumento de efetivos na Esquadra do Viso, porque temos metade do efetivo policial e neste preciso momento não temos carro patrulha”, referiu, adiantando que o Ministério da Administração Interna (MAI) não acolheu o pedido de reunião por si solicitado em dois ofícios enviados em maio de 2022 e junho de 2023.

“Desde novembro de 2021 que venho a reclamar a falta de efetivos no Viso. Este não é um problema de agora. Precisamos de policiamento de proximidade”, acrescentou.

Contactado pela Lusa, o MAI remeteu os esclarecimentos para a PSP do Porto.

Para segunda-feira está agendada uma Assembleia Municipal potestativa, convocada pelo movimento independente “Aqui há Porto!”, para discutir a segurança na cidade.

A sessão foi convocada na sequência da audição, a 27 de setembro, da secretária de Estado da Administração Interna, Isabel Oneto, na Comissão Parlamentar, no âmbito de um requerimento apresentado pelo PSD para discutir a falta de capacidade operacional da PSP na cidade do Porto.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

REGIÕES

AÇORES: ÁGUA DO MAR PODERÁ ULTRAPASSAR OS 26 GRAUS – IPMA

A temperatura da água do mar deverá estar excecionalmente quente durante a próxima semana no arquipélago dos Açores, segundo previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que apontam para valores acima dos 26 graus.

Online há

em

A temperatura da água do mar deverá estar excecionalmente quente durante a próxima semana no arquipélago dos Açores, segundo previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que apontam para valores acima dos 26 graus.

“Prevê-se que a partir da próxima semana se verifique um aumento da temperatura da água do mar na região dos Açores, que poderá atingir valores superiores a 26ºC, em particular nas ilhas dos Grupos Ocidental [Corvo e Flores] e Central [Pico, Faial, São Jorge e Terceira]”, pode ler-se num comunicado do IPMA.

“A situação de anomalia positiva da temperatura da superfície do oceano, que se tem verificado nos últimos meses nesta região, resulta da posição e intensidade do Anticiclone dos Açores”, explica o IPMA no comunicado, dando como exemplo a anomalia que em junho “variou entre 0,8 e 1,6°C nos grupos Oriental [Santa Maria e S. Miguel] e Central e entre 1,6 e 2,4°C no Ocidental”.

O Anticiclone dos Açores deverá localizar-se a sudoeste do arquipélago, apresentando um vasto campo de ação, ao qual estarão associados ventos muito fracos à superfície.

Estas condições de vento fraco irão, por um lado, limitar a mistura de água nas camadas mais superficiais do oceano e, por outro, reduzir o transporte de poeiras do deserto do Sahara sobre a região subtropical do Atlântico, deixando a atmosfera mais limpa, permitindo que a radiação solar incidente sobre o oceano seja mais eficiente, refere o comunicado.

Devido à conjugação destes fatores, o IPMA prevê “um aquecimento anormalmente elevado da temperatura da água do mar no arquipélago dos Açores”.

Durante a próxima semana, acrescenta, preveem-se também valores da temperatura do ar acima dos 28°C, com a ocorrência de noites tropicais (temperatura mínima superior a 20°C), juntamente com valores elevados da humidade relativa do ar.

O IPMA deverá assim, oportunamente, emitir avisos meteorológicos de tempo quente para o arquipélago dos Açores.

LER MAIS

REGIÕES

PORTO: SETE ANOS DE PRISÃO POR ESFAQUEAR UM HOMEM NA DISCOTECA

O homem que esfaqueou outro à porta de uma discoteca no Porto em fevereiro de 2023 foi hoje condenado a sete anos de prisão no Tribunal São João Novo, no Porto.

Online há

em

O homem que esfaqueou outro à porta de uma discoteca no Porto em fevereiro de 2023 foi hoje condenado a sete anos de prisão no Tribunal São João Novo, no Porto.

Durante a leitura do acórdão, a presidente do coletivo de juízes referiu que o arguido, em prisão preventiva, mostrou “frieza e falta de afetividade pelo ser humano”.

“Espero que retire alguma lição daqui para a frente”, atirou a magistrada.

Além disso, a juíza frisou que os problemas não se resolvem à facada.

Em fevereiro de 2023, o arguido de 26 anos, agora condenado, esfaqueou cinco vezes, duas das quais em órgãos vitais, um homem à porta de uma discoteca no Porto.

O arguido e o ofendido integravam um grupo de seis pessoas que se juntou com o propósito de comprar o acesso à área reservada da discoteca, dividindo entre todos a despesa, tendo estado na origem das agressões uma discordância quanto ao valor cobrado pelo ofendido.

“Uma discussão sobre cinco euros deixou o ofendido entre a vida e a morte, algo que é desprezível”, frisou a magistrada.

A juíza recordou que a vítima, jogador de futebol de 21 anos, teve de ser reanimado e operado de urgência após o esfaqueamento.

LER MAIS

MAIS LIDAS