Ligue-se a nós

DESPORTO

SL BENFICA X SC FARENSE: ANÁLISE DE JOSÉ AUGUSTO SANTOS

Benfica foi de desperdício em desperdício até ao empate final. Mérito do bom jogo do Farense, mas muito demérito de uma equipa que criou muitas oportunidades de golo, fez uma excelente exibição até ao último passe, mas não conseguiu ter eficácia em 36 dos seus 37 remates.

Online há

em

Benfica foi de desperdício em desperdício até ao empate final. Mérito do bom jogo do Farense, mas muito demérito de uma equipa que criou muitas oportunidades de golo, fez uma excelente exibição até ao último passe, mas não conseguiu ter eficácia em 36 dos seus 37 remates.

Entrada forte e determinada do Benfica, que queria afastar os fantasmas de Moreira de Cónegos, com Roger Schmidt a fazer apenas uma alteração, entrada de Kokçu por troca com Florentino para dar maior qualidade de passe e velocidade na circulação no meio-campo e uma maior aproximação à área para explorar a boa meia-distância do turco.

O Benfica foi criando e desperdiçando oportunidades, quase todas pelo lado direito com a capacidade técnica de Di Maria e o envolvimento de Aursnes, o melhor da equipa encarnada. Era até com alguma facilidade que o Benfica entrava e desmontava a organização defensiva do Farense, mas no remate final Rafa esteve desinspirado e Tengstedt ainda não parece ter a experiência e à-vontade com a baliza para ser a principal referência ofensiva de uma equipa da dimensão do Benfica. Até poderá vir a ser, mas neste momento não é.

José Mota fiel ao seu sistema predileto 1-4-3-3, apostou no onze que tinha perdido na jornada anterior, no S. Luís contra o Vitória de Guimarães, uma prova de confiança dada aos jogadores, que tem feito uma excelente época. Contou, na noite de hoje, com a ineficácia do Benfica na finalização e com a inspiração de um guarda-redes a exibir-se em excelente plano, mas demonstrou ter uma equipa muito equilibrada no processo defensivo e capaz de ligar bem o jogo ofensivo com Matheus Oliveira a demonstrar que poderia ter tido outro tipo de carreira, se tivesse sempre a atitude que demonstra esta época. Teve a capacidade de saber sofrer no momento defensivo e o mérito de nunca se desorganizar nunca recorrendo a “autocarros” nem antijogo.

Na segunda parte e na sequência de uma bola parada Falcão, que esteve em bom nível, num bom golpe de cabeça inaugurou o marcador e a instabilidade emocional dos jogadores do Benfica e em especial dos adeptos, que tem expetativas demasiado elevadas para esta época, fez-se sentir e o Benfica que fez uma excelente primeira parte, exceto na finalização, passou o seu pior período.

Advertisement

O técnico alemão substituiu João Neves, que não estava a fazer um bom jogo e o ambiente em torno da equipa piorou, porque os adeptos encarnados não aceitaram a saída de João Neves. Na minha opinião a substituição é bem feita porque o Farense estava em bloco baixo, na tentativa de segurar o resultado e os espaços poderiam aparecer à entrada da área onde Kokçu tem mais facilidade de remate. A integração de João Mário no corredor central seria incluir um jogador forte no último passe e com eficácia no remate. No fundo teria de sair um médio e em teoria a ideia era boa, retirou o que tem menor capacidade de finalização. A realidade é que a equipa mesmo assim reagiu, chegou ao golo do empate depois de uma excelente jogada daqueles que foram os dois melhores do Benfica Di Maria e Aursnes, finalizada pelo perdulário Rafa e ainda com tempo para tentar ganhar.

Faltou discernimento, tranquilidade e frescura física para ultrapassar a boa organização defensiva do Farense e a superior exibição de Ricardo Velho.

No Benfica Aursnes foi o melhor, mesmo numa posição que não é sua, tem uma leitura de jogo e tomada de decisão que o faz fazer quase tudo bem, conseguiu projetar-se para o ataque e fazer várias combinações e cruzamentos perigosos, como no golo de Rafa. Di Maria enquanto teve capacidade física também esteve em bom plano (excelente o duelo com Talocha, com ganhos e perdas) e Otamendi não sabe jogar mal. Morato a lateral esquerdo tem muitas dificuldades no momento ofensivo. Nesse aspeto só esteve bem quando solicitado na área para o seu jogo aéreo. Mas o elo mais fraco acabou por ser Tengstdet.

No Farense Ricardo Velho fez uma exibição para mais tarde recordar, na sequência da espetacular época e evolução do guarda-redes que fez a sua formação no SC de Braga. Falcão marcou um bom golo e controlou bem o corredor central sendo um excelente apoio aos defesas centrais e Matheus Oliveira demonstrou classe e capacidade de remate. Nota também para o esforçado Bruno Duarte que me parece num nível superior ao que tinha no Vitória. Mérito de José Mota.

O árbitro Miguel Nogueira acertou quase sempre e apitou pouco o que favoreceu a dinâmica e o tempo útil de jogo. Na minha opinião fica um penalti por marcar por mão de Otamendi que de forma casual, mas com o braço aberto toca na bola. Admito a dúvida do árbitro, mas com recurso às imagens Tiago Martins que estava no VAR poderia e deveria ter dado a indicação da infração.

Advertisement

José Augusto Santos, Comentador Desportivo e Treinador de Futebol Nível IV UEFA Pro.

Advertisement
DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

DESPORTO

LIGA DOS CAMPEÕES: FC PORTO VENCE ARSENAL COM GOLO DE GALENO AOS 90+4

Um golo de Galeno, em tempo de compensação, deu hoje ao FC Porto a vitória por 1-0 sobre o Arsenal, na primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, no Estádio do Dragão.

Online há

em

Um golo de Galeno, em tempo de compensação, deu hoje ao FC Porto a vitória por 1-0 sobre o Arsenal, na primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, no Estádio do Dragão.

O tento do triunfo surgiu no derradeiro minuto dos ‘descontos’, aos 90+4, permitindo que os ‘dragões’, campeões europeus em 1987 e 2004, entrem em vantagem no encontro da segunda mão, agendado para 12 de março, em Londres.

O FC Porto procura superar os ‘oitavos’ da ‘Champions’ pela sexta vez, depois de 2003/04, 2008/09, 2014/15, 2018/19 e 2020/21.

LER MAIS

DESPORTO

BENFICA: SCHMIDT DESTACA “BOA FASE” DA EQUIPA MOTIVADA PARA OS “OITAVOS”

O treinador Roger Schmidt destacou hoje a boa fase que o Benfica atravessa, pelo que espera dar continuidade ao momento no encontro com os franceses do Toulouse, rumo aos oitavos de final da Liga Europa em futebol.

Online há

em

O treinador Roger Schmidt destacou hoje a boa fase que o Benfica atravessa, pelo que espera dar continuidade ao momento no encontro com os franceses do Toulouse, rumo aos oitavos de final da Liga Europa em futebol.

Na passada semana, no Estádio da Luz, dois penáltis concretizados pelo argentino Ángel Di María, aos 68 e 90+8 minutos, com um tento do dinamarquês Mikkel Desler pelo meio, aos 75, selaram o 2-1 a favor das ‘águias’, mas, na quinta-feira, em Toulouse, o desafio da segunda mão do play-off será “diferente”.

“Espero um jogo difícil, porque a segunda mão de um jogo a eliminar é sempre diferente e difícil. A abordagem será um pouco diferente, eles precisam de golos para continuar e têm de atacar um pouco mais. Acreditamos em nós, queremos jogar o nosso futebol ofensivo e mostrar durante os 90 minutos que merecemos continuar na competição”, perspetivou, em conferência de imprensa.

E acrescentou: “A equipa está muito motivada. Estamos a atravessar uma boa fase e estamos bem o suficiente para vencermos o jogo”.

Para ultrapassar, novamente, o 13.º classificado da Liga francesa, as ‘águias’ vão ter de “jogar sempre com intensidade e transições”, de forma a “colocar o jogo longe” da sua área, segundo Schmidt.

Advertisement

A mãe do médio João Neves faleceu recentemente, com o treinador a mostrar-se solidário, embora sem garantir a titularidade do internacional luso em Toulouse.

“Muito chocado e triste. Estamos todos compreensivos sobre a decisão dele de treinar e jogar, porque era o que queria. A vida continua, estamos com ele e vamos falar antes de tomar a decisão sobre se joga ou não”, terminou.

O guarda-redes Trubin falou aos jornalistas antes do técnico germânico, para vincar que o objetivo dos ‘encarnados’ passa pela qualificação para os oitavos de final da competição.

“Todas as competições são muito importantes para o Benfica. O foco é vencer o Toulouse e avançar para a próxima fase. Espero que não seja necessário irmos a penáltis para ultrapassarmos a eliminatória”, expressou.

O Toulouse recebe o Benfica na quinta-feira, em jogo da segunda mão do play-off de acesso aos oitavos de final da Liga Europa, com início às 17:45 (hora de Lisboa), que será arbitrado pelo italiano Maurizio Marinai.

Advertisement
LER MAIS

MAIS LIDAS