Ligue-se a nós

DESPORTO

SPORTING CP X GIL VICENTE FC: ANÁLISE DE JOSÉ AUGUSTO SANTOS

Sporting motivado por se isolar no 1º lugar entrou forte, mas só no final da primeira e no início da segunda parte resolveu o jogo. Com uma pontinha de sorte no golo do empate perto do intervalo e uma excelente dinâmica que o seu trio mais ofensivo, Pedro Gonçalves, Viktor Gyokeres e Marcus Edwards imprimiu e que a organização defensiva do Gil Vicente não teve “pedalada” para contrariar.

Online há

em

Sporting motivado por se isolar no 1º lugar entrou forte, mas só no final da primeira e no início da segunda parte resolveu o jogo. Com uma pontinha de sorte no golo do empate perto do intervalo e uma excelente dinâmica que o seu trio mais ofensivo, Pedro Gonçalves, Viktor Gyokeres e Marcus Edwards imprimiu e que a organização defensiva do Gil Vicente não teve “pedalada” para contrariar.

O Sporting apresentou a sua estrutura habitual de 3 centrais, Diomande, Coates e Gonçalo Inácio, com Nuno Santos e Ricardo Esgaio, nos corredores laterais, a dar largura e profundidade ao seu jogo ofensivo, dominou o período inicial, pressionou o último reduto gilista, mas à exceção do golo anulado a Gyokeres não criou grandes oportunidades para marcar.

O Gil Vicente com um bloco baixo tentou impedir o Sporting de criar oportunidades e aos poucos tentou retirar a bola à equipa leonina com a capacidade de circulação de Pedro Tiba, que não teve o acompanhamento de jogadores dotados tecnicamente como Fujimoto e Maxime Dominguez, o que retirou capacidade e critério na manutenção da posse e na saída para as transições. Murilo nunca foi bem solicitado e o jovem e promissor ponta-de-lança Miguel Monteiro foi presa fácil para Coates.

Apesar do domínio sportinguista o Gil foi ficando mais confortável com bola e na sequência de um lance de bola parada inaugurou o marcador pelo seu melhor jogador o capitão Rúben Fernandes na sequência de um livre lateral bem executado por Murilo. O Sporting acusou o golo sofrido e numa fase importante do jogo em que demonstrou algum nervosismo, também provocado pelo público, acabou por chegar ao empate com alguma sorte no remate de Nuno Santos que não levava a direção da baliza, a bola desviou em Pedro Tiba e tornou impossível a defesa de Andrew. Esse golo foi extremamente importante para a equipa leonina.

Ruben Amorim ao intervalo trocou os 2 jogadores dos corredores laterais que até estavam a fazer um bom jogo e desta vez a entrada de Geny Catamo não teve o impacto habitual. A entrada fulgurante e subida de rendimento de Pedro Gonçalves a combinar bem com os dois colegas de ataque que já na primeira parte tinham estado em bom plano, acabou por desbaratar por completo a organização defensiva do Gil com os seus jogadores a não terem velocidade para contrariar a movimentação dos atacantes leoninos. Gyokeres marca 2 golos em 10 minutos.

Advertisement

O 3-1 é a melhor jogada do desafio com a solicitação de Edwards a Pedro Gonçalves que com um passe de morte assiste o ponta de lança sueco que apareceu no sítio certo a finalizar e a decidir o jogo. Depois geriu a vantagem com o único atrativo dessa fase do jogo a ser os duelos do avançado sueco com os defesas gilistas e a sua tentativa de marcar o hat-trick.

Os dois técnicos foram alterando a equipa com Ruben Amorim a gerir jogadores e a vantagem no marcador e Vítor Campelos à procura de outro tipo de soluções e características ofensivas na tentativa de marcar um golo e reentrar na discussão do resultado, mas nenhuma das alterações surtiu efeito.

O melhor do jogo foi Gyokeres pelos 2 golos que marcou, pelo que correu, jogou e fez jogar. Marcus Edwards também esteve em bom plano, com a sua movimentação e imprevisibilidade e Pedro Gonçalves melhorou muito na segunda parte, o passe para o 3º golo é sublime.

No Gil só Rúben Fernandes e Pedro Tiba se exibiram em bom plano. A equipa caiu muito de rendimento em relação à fase inicial da época e as alterações de Vítor Campelos, nos últimos jogos, nomeadamente as saídas do 11 inicial de Gabriel Pereira, Buta e Martim Neto, depois da derrota em Famalicão e a lesão de Depú fragilizaram a equipa.

Claúdio Pereira teve um critério largo que favoreceu a dinâmica do jogo. Os responsáveis gilistas pediram falta no primeiro e segundo golo sem razão.

Advertisement

Os jogadores que atuam no campeonato português terão de se adaptar a esta forma de gerir os jogos porque este género de contactos no futebol europeu não é assinalado falta. Este critério favorece o tempo útil de jogo, um problema do campeonato português e adapta as equipas ao contexto que encontram quando participam nas competições europeias.


José Augusto Santos, Comentador Desportivo e Treinador de Futebol Nível IV UEFA Pro.

Advertisement
DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

DESPORTO

LIGA DOS CAMPEÕES: FC PORTO VENCE ARSENAL COM GOLO DE GALENO AOS 90+4

Um golo de Galeno, em tempo de compensação, deu hoje ao FC Porto a vitória por 1-0 sobre o Arsenal, na primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, no Estádio do Dragão.

Online há

em

Um golo de Galeno, em tempo de compensação, deu hoje ao FC Porto a vitória por 1-0 sobre o Arsenal, na primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, no Estádio do Dragão.

O tento do triunfo surgiu no derradeiro minuto dos ‘descontos’, aos 90+4, permitindo que os ‘dragões’, campeões europeus em 1987 e 2004, entrem em vantagem no encontro da segunda mão, agendado para 12 de março, em Londres.

O FC Porto procura superar os ‘oitavos’ da ‘Champions’ pela sexta vez, depois de 2003/04, 2008/09, 2014/15, 2018/19 e 2020/21.

LER MAIS

DESPORTO

BENFICA: SCHMIDT DESTACA “BOA FASE” DA EQUIPA MOTIVADA PARA OS “OITAVOS”

O treinador Roger Schmidt destacou hoje a boa fase que o Benfica atravessa, pelo que espera dar continuidade ao momento no encontro com os franceses do Toulouse, rumo aos oitavos de final da Liga Europa em futebol.

Online há

em

O treinador Roger Schmidt destacou hoje a boa fase que o Benfica atravessa, pelo que espera dar continuidade ao momento no encontro com os franceses do Toulouse, rumo aos oitavos de final da Liga Europa em futebol.

Na passada semana, no Estádio da Luz, dois penáltis concretizados pelo argentino Ángel Di María, aos 68 e 90+8 minutos, com um tento do dinamarquês Mikkel Desler pelo meio, aos 75, selaram o 2-1 a favor das ‘águias’, mas, na quinta-feira, em Toulouse, o desafio da segunda mão do play-off será “diferente”.

“Espero um jogo difícil, porque a segunda mão de um jogo a eliminar é sempre diferente e difícil. A abordagem será um pouco diferente, eles precisam de golos para continuar e têm de atacar um pouco mais. Acreditamos em nós, queremos jogar o nosso futebol ofensivo e mostrar durante os 90 minutos que merecemos continuar na competição”, perspetivou, em conferência de imprensa.

E acrescentou: “A equipa está muito motivada. Estamos a atravessar uma boa fase e estamos bem o suficiente para vencermos o jogo”.

Para ultrapassar, novamente, o 13.º classificado da Liga francesa, as ‘águias’ vão ter de “jogar sempre com intensidade e transições”, de forma a “colocar o jogo longe” da sua área, segundo Schmidt.

Advertisement

A mãe do médio João Neves faleceu recentemente, com o treinador a mostrar-se solidário, embora sem garantir a titularidade do internacional luso em Toulouse.

“Muito chocado e triste. Estamos todos compreensivos sobre a decisão dele de treinar e jogar, porque era o que queria. A vida continua, estamos com ele e vamos falar antes de tomar a decisão sobre se joga ou não”, terminou.

O guarda-redes Trubin falou aos jornalistas antes do técnico germânico, para vincar que o objetivo dos ‘encarnados’ passa pela qualificação para os oitavos de final da competição.

“Todas as competições são muito importantes para o Benfica. O foco é vencer o Toulouse e avançar para a próxima fase. Espero que não seja necessário irmos a penáltis para ultrapassarmos a eliminatória”, expressou.

O Toulouse recebe o Benfica na quinta-feira, em jogo da segunda mão do play-off de acesso aos oitavos de final da Liga Europa, com início às 17:45 (hora de Lisboa), que será arbitrado pelo italiano Maurizio Marinai.

Advertisement
LER MAIS

MAIS LIDAS