Ligue-se a nós

NACIONAL

CARNAVAL COM CHUVA E VENTO NO CONTINENTE, AÇORES E MADEIRA- IPMA

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê, a partir desta sexta-feira e até terça-feira de Carnaval em Portugal continental, chuva, por vezes forte, e temperaturas máximas até aos 18 graus Celsius.

Online há

em

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê, a partir desta sexta-feira e até terça-feira de Carnaval em Portugal continental, chuva, por vezes forte, e temperaturas máximas até aos 18 graus Celsius.

Em comunicado, o IPMA adianta que o estado do tempo será condicionado pela passagem sucessiva de ondulações frontais associadas a depressões que se deslocam no Atlântico em direção à Europa.

Esta situação é caracterizada pela ocorrência de precipitação, por vezes forte, alternada com períodos em que será mais fraca ou mesmo ausente. Assim, segundo o IPMA, até terça-feira, a chuva deverá ocorrer em todo o território, sendo por vezes forte nas regiões Norte e Centro.

“No entanto, devido ao estabelecimento de um anticiclone entre o arquipélago das Canárias e o golfo de Cadiz, a precipitação no Baixo Alentejo e Algarve no dia 13 [terça-feira] será pouco provável”, é referido na nota.

Segundo o IPMA, a temperatura deverá estar próxima dos valores médios para o mês de fevereiro ou ligeiramente acima. A temperatura máxima irá variar entre 12 e 18 graus, sendo entre 8 e 12 graus no interior Norte e Centro, e as mínimas entre 0 e 8 graus no interior Norte e Centro e entre 11 e 15 graus no restante território.

Advertisement

No que diz respeito ao vento, irá soprar do quadrante sul, temporariamente do quadrante oeste, sendo mais intenso nesta sexta-feira e sábado, em especial no litoral e terras altas.

De acordo com o Instituto, até ao fim da manhã de domingo prevê-se a ocorrência de aguaceiros de neve nas regiões Norte e Centro, inicialmente nos pontos mais altos da serra da Estrela, descendo gradualmente a cota para 800/1000 metros.

Durante este período, prevê-se igualmente o aumento a agitação marítima na costa, em especial na costa ocidental onde as ondas do quadrante oeste poderão atingir 5 a 5,5 metros de altura.

Por causa do mau tempo que já se tem feito sentir desde quinta-feira no continente, algumas iniciativas previstas para o Carnaval foram canceladas.

Quanto ao arquipélago dos Açores, o estado do tempo será influenciado pela aproximação e passagem de sucessivos sistemas frontais.

Advertisement

Assim, a partir do final do dia, e estendendo-se ao longo do dia de sábado, a passagem de um sistema frontal associado a uma depressão a noroeste provocará períodos de chuva, passando a aguaceiros, começando pelo Grupo Ocidental (Flores e Corvo), passando depois aos Grupos Central (Pico, Faial, Graciosa, São Jorge e Terceira) e Oriental (São Miguel e Santa Maria).

Está também previsto vento de noroeste moderado a fresco, sendo muito fresco a forte no grupo Oriental. A partir do final do dia de segunda-feira e na terça-feira, a aproximação e passagem de um novo sistema frontal provocará períodos de chuva, passando a aguaceiros. As temperaturas máximas vão variar entre os 13 graus de mínima e os 19 graus de máxima.

Já na Madeira, o estado do tempo até terça-feira será condicionado pelo estabelecimento gradual de um anticiclone que se encontra a sudoeste das Canárias e que se vai deslocando para nordeste, após a influência da ondulação frontal associada à depressão Karlotta durante o dia de hoje.

Assim, está prevista chuva, sendo mais provável nesta sexta-feira e sábado, vento de oeste ou noroeste, por vezes forte e com rajadas. As temperaturas máximas vão variar entre os 18 e os 24 graus, sendo mais baixas nas terras altas. Tanto na Madeira como nos Açores, mantém-se os programas de Carnaval tal como foram anunciados.

Advertisement
Advertisement
DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

NACIONAL

POLÍCIA: MAIS DE 336 MIL DENÚNCIAS CRIMINAIS EM DOIS ANOS

A Polícia de Segurança Pública (PSP) registou no biénio 2022-2023 mais de 336 mil denúncias criminais, segundo dados divulgados pela força de segurança para assinalar hoje o Dia Europeu das Vítimas de Crime.

Online há

em

A Polícia de Segurança Pública (PSP) registou no biénio 2022-2023 mais de 336 mil denúncias criminais, segundo dados divulgados pela força de segurança para assinalar hoje o Dia Europeu das Vítimas de Crime.

Em comunicado, a PSP adianta que no ano de 2023, o serviço 112 recebeu um total de 6.953.906 chamadas.

“Importa ainda referir que no biénio 2022-2023, a PSP registou mais de 336 mil denúncias criminais, que tiveram o devido apoio, acompanhamento e encaminhamento.”, é referido na nota.

Estes dados são divulgados hoje, o Dia Europeu das Vítimas de Crime, que foi “criado no ano de 1990 em Estocolmo pela Victim Support Europe, com o propósito de sensibilizar e alertar para a proteção e salvaguarda dos direitos das vítimas de crime, bem como dar a conhecer os mecanismos disponíveis a que podem recorrer, caso sejam vítimas de crime ou tenham presenciado um crime, independentemente da sua natureza”.

A PSP disponibiliza a nível nacional mais de duas centenas de locais para apresentação de denúncias e apoio a vítimas de crimes, entre centenas de esquadras, 19 espaços de atendimento especializado e dedicado a vítimas de violência doméstica (vítimas especialmente vulneráveis), quatro postos policiais localizados nos principais hospitais da Área Metropolitana de Lisboa e três Esquadras de Turismo.

Advertisement

Podem ser feitos contactos ainda através da queixa eletrónica https://queixaselectronicas.mai.gov.pt para formalizar qualquer denúncia criminal via internet, bem como os endereços eletrónicos [email protected], [email protected], [email protected], [email protected].

A APAV – Associação Portuguesa de Apoio à Vítima registou no ano passado 30.950 crimes, a maioria relacionados com violência doméstica e crimes sexuais contra crianças e jovens.

Segundo dados da APAV, divulgados hoje no jornal Público, nos últimos cinco anos, foram registados 6.776 crimes sexuais contra crianças e jovens, sendo o ano de 2023 aquele em que mais crimes deste género foram reportados, totalizando 1.760 situações.

No entanto, os crimes de violência doméstica continuam a dominar a maioria do total dos crimes relatados pela APAV ao longo de 2023: foram sinalizados 23.465 crimes deste tipo, representando 75,8% do total de 30.950 crimes reportados.

Os dados da APAV, citados pelo Público e cujo relatório vai ser divulgado hoje, indicam que os crimes relacionados com a violência sexual contra menores (1.760) surgem logo a seguir, representando 5,7% dos crimes reportados.

Advertisement

Os 1.760 casos representam um aumento de quase 30%, que se traduzem em 404 situações, no número de crimes contra crianças contabilizados pela APAV ao longo de 2022.

LER MAIS

NACIONAL

SETE MIL CRIMES SEXUAIS CONTRA CRIANÇAS E JOVENS NOS ÚLTIMOS CINCO ANOS

A Polícia de Segurança Pública (PSP) registou no biénio 2022-2023 mais de 336 mil denúncias criminais, segundo dados divulgados pela força de segurança para assinalar hoje o Dia Europeu das Vítimas de Crime.

Online há

em

A Polícia de Segurança Pública (PSP) registou no biénio 2022-2023 mais de 336 mil denúncias criminais, segundo dados divulgados pela força de segurança para assinalar hoje o Dia Europeu das Vítimas de Crime.

Em comunicado, a PSP adianta que no ano de 2023, o serviço 112 recebeu um total de 6.953.906 chamadas.

“Importa ainda referir que no biénio 2022-2023, a PSP registou mais de 336 mil denúncias criminais, que tiveram o devido apoio, acompanhamento e encaminhamento.”, é referido na nota.

Estes dados são divulgados hoje, o Dia Europeu das Vítimas de Crime, que foi “criado no ano de 1990 em Estocolmo pela Victim Support Europe, com o propósito de sensibilizar e alertar para a proteção e salvaguarda dos direitos das vítimas de crime, bem como dar a conhecer os mecanismos disponíveis a que podem recorrer, caso sejam vítimas de crime ou tenham presenciado um crime, independentemente da sua natureza”.

A PSP disponibiliza a nível nacional mais de duas centenas de locais para apresentação de denúncias e apoio a vítimas de crimes, entre centenas de esquadras, 19 espaços de atendimento especializado e dedicado a vítimas de violência doméstica (vítimas especialmente vulneráveis), quatro postos policiais localizados nos principais hospitais da Área Metropolitana de Lisboa e três Esquadras de Turismo.

Advertisement

Podem ser feitos contactos ainda através da queixa eletrónica https://queixaselectronicas.mai.gov.pt para formalizar qualquer denúncia criminal via internet, bem como os endereços eletrónicos [email protected], [email protected], [email protected], [email protected].

A APAV – Associação Portuguesa de Apoio à Vítima registou no ano passado 30.950 crimes, a maioria relacionados com violência doméstica e crimes sexuais contra crianças e jovens.

Segundo dados da APAV, divulgados hoje no jornal Público, nos últimos cinco anos, foram registados 6.776 crimes sexuais contra crianças e jovens, sendo o ano de 2023 aquele em que mais crimes deste género foram reportados, totalizando 1.760 situações.

No entanto, os crimes de violência doméstica continuam a dominar a maioria do total dos crimes relatados pela APAV ao longo de 2023: foram sinalizados 23.465 crimes deste tipo, representando 75,8% do total de 30.950 crimes reportados.

Os dados da APAV, citados pelo Público e cujo relatório vai ser divulgado hoje, indicam que os crimes relacionados com a violência sexual contra menores (1.760) surgem logo a seguir, representando 5,7% dos crimes reportados.

Advertisement

Os 1.760 casos representam um aumento de quase 30%, que se traduzem em 404 situações, no número de crimes contra crianças contabilizados pela APAV ao longo de 2022.

LER MAIS

MAIS LIDAS