Ligue-se a nós

REGIÕES

COIMBRA: PRIMEIRAS CIRURGIAS ROBÓTICAS EM ORTOPEDIA REALIZADAS COM ÊXITO

Realizaram-se agora em Coimbra as duas primeiras cirurgias robóticas em ortopedia, com pleno êxito, tendo ambos os doentes tido alta 48 horas depois. Estas duas intervenções foram efectuadas na passada quinta-feira no Centro Cirúrgico de Coimbra, por uma equipa constituída pelos cirurgiões Pedro Marques e Francisco Agostinho.

Online há

em

Realizaram-se agora em Coimbra as duas primeiras cirurgias robóticas em ortopedia, com pleno êxito, tendo ambos os doentes tido alta 48 horas depois. Estas duas intervenções foram efectuadas na passada quinta-feira no Centro Cirúrgico de Coimbra, por uma equipa constituída pelos cirurgiões Pedro Marques e Francisco Agostinho.

Tratou-se da utilização, pioneira em Coimbra, de um braço robótico em duas cirurgias artroplásticas – a designação dada à substituição, total ou parcial, da articulação do joelho e/ou da anca.

Esta técnica inovadora oferece muitas vantagens, entre as quais a diminuição do tempo de internamento, a recuperação mais rápida, menos tempo para a fisioterapia, redução do risco de luxação (no caso da artroplastia da anca) e a diminuição da sensação de articulação não natural que o implante pode proporcionar.

Para conseguir estes excelentes resultados, o Serviço de Ortopedia do Centro Cirúrgico de Coimbra adquiriu os sofisticados equipamentos para a robotização e os cirurgiões submeteram-se a intensa e aprofundada formação para a respectiva utilização.

O processo inicia-se com o diagnóstico e a preparação do doente para este tipo de intervenção. Tomada a decisão, o doente tem de fazer um exame imagiológico que vai permitir a criação do modelo tridimensional da articulação em que vai intervir, bem como nas articulações adjacentes. A colocação da prótese é completamente personalizada, pois a construção do modelo 3D baseia-se na anatomia óssea individual de cada paciente. A quantidade de dados biomecânicos disponíveis para análise ajuda o cirurgião nas decisões de planeamento, permitindo até recuperar a tipologia biométrica existente antes da doença.

No momento da intervenção cirúrgica, o posicionamento da prótese é ajustado pelo cirurgião, tendo em conta a elasticidade ligamentar de cada doente. O braço robótico é controlado pelo cirurgião, mas constitui instrumento de enorme precisão, muitíssimo maior do que a mão humana, uma vez que todos os gestos e cortes são calculados ao milímetro, evitando-se qualquer dano colateral.

O cirurgião dispõe, assim, de uma “terceira mão”, que eleva a cirurgia ortopédica a um novo patamar de precisão e segurança. Claro que todos os movimentos e decisões são previamente definidos pelo cirurgião ortopédico que, obrigatoriamente, tem de ter certificação em cirurgia assistida por robótica.

Segundo Pedro Marques, um dos cirurgiões ortopédicos do Centro Cirúrgico de Coimbra, “a tecnologia entrou na prática clínica diária e não vai parar de modificar a forma como trabalhamos ou como avaliamos os doentes, como tomamos as decisões terapêuticas ou como as executamos. Na ortopedia é isso que está a acontecer”. E acrescenta:

“Hoje, a concorrência não é entre homens e máquinas, é entre homens com máquinas e homens sem máquinas. As aplicações para uso clínico multiplicam-se e oferecem uma panóplia de utilizações, seja para classificar melhor uma fratura, para discutir qual a melhor abordagem terapêutica para uma patologia ou até identificar o modelo de uma prótese do joelho ou da anca numa radiografia. Isto já acontece hoje”.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

REGIÕES

AÇORES: ÁGUA DO MAR PODERÁ ULTRAPASSAR OS 26 GRAUS – IPMA

A temperatura da água do mar deverá estar excecionalmente quente durante a próxima semana no arquipélago dos Açores, segundo previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que apontam para valores acima dos 26 graus.

Online há

em

A temperatura da água do mar deverá estar excecionalmente quente durante a próxima semana no arquipélago dos Açores, segundo previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que apontam para valores acima dos 26 graus.

“Prevê-se que a partir da próxima semana se verifique um aumento da temperatura da água do mar na região dos Açores, que poderá atingir valores superiores a 26ºC, em particular nas ilhas dos Grupos Ocidental [Corvo e Flores] e Central [Pico, Faial, São Jorge e Terceira]”, pode ler-se num comunicado do IPMA.

“A situação de anomalia positiva da temperatura da superfície do oceano, que se tem verificado nos últimos meses nesta região, resulta da posição e intensidade do Anticiclone dos Açores”, explica o IPMA no comunicado, dando como exemplo a anomalia que em junho “variou entre 0,8 e 1,6°C nos grupos Oriental [Santa Maria e S. Miguel] e Central e entre 1,6 e 2,4°C no Ocidental”.

O Anticiclone dos Açores deverá localizar-se a sudoeste do arquipélago, apresentando um vasto campo de ação, ao qual estarão associados ventos muito fracos à superfície.

Estas condições de vento fraco irão, por um lado, limitar a mistura de água nas camadas mais superficiais do oceano e, por outro, reduzir o transporte de poeiras do deserto do Sahara sobre a região subtropical do Atlântico, deixando a atmosfera mais limpa, permitindo que a radiação solar incidente sobre o oceano seja mais eficiente, refere o comunicado.

Devido à conjugação destes fatores, o IPMA prevê “um aquecimento anormalmente elevado da temperatura da água do mar no arquipélago dos Açores”.

Durante a próxima semana, acrescenta, preveem-se também valores da temperatura do ar acima dos 28°C, com a ocorrência de noites tropicais (temperatura mínima superior a 20°C), juntamente com valores elevados da humidade relativa do ar.

O IPMA deverá assim, oportunamente, emitir avisos meteorológicos de tempo quente para o arquipélago dos Açores.

LER MAIS

REGIÕES

PORTO: SETE ANOS DE PRISÃO POR ESFAQUEAR UM HOMEM NA DISCOTECA

O homem que esfaqueou outro à porta de uma discoteca no Porto em fevereiro de 2023 foi hoje condenado a sete anos de prisão no Tribunal São João Novo, no Porto.

Online há

em

O homem que esfaqueou outro à porta de uma discoteca no Porto em fevereiro de 2023 foi hoje condenado a sete anos de prisão no Tribunal São João Novo, no Porto.

Durante a leitura do acórdão, a presidente do coletivo de juízes referiu que o arguido, em prisão preventiva, mostrou “frieza e falta de afetividade pelo ser humano”.

“Espero que retire alguma lição daqui para a frente”, atirou a magistrada.

Além disso, a juíza frisou que os problemas não se resolvem à facada.

Em fevereiro de 2023, o arguido de 26 anos, agora condenado, esfaqueou cinco vezes, duas das quais em órgãos vitais, um homem à porta de uma discoteca no Porto.

O arguido e o ofendido integravam um grupo de seis pessoas que se juntou com o propósito de comprar o acesso à área reservada da discoteca, dividindo entre todos a despesa, tendo estado na origem das agressões uma discordância quanto ao valor cobrado pelo ofendido.

“Uma discussão sobre cinco euros deixou o ofendido entre a vida e a morte, algo que é desprezível”, frisou a magistrada.

A juíza recordou que a vítima, jogador de futebol de 21 anos, teve de ser reanimado e operado de urgência após o esfaqueamento.

LER MAIS

MAIS LIDAS