Ligue-se a nós

DESPORTO

ESTORIL X BENFICA: ANÁLISE DE JOSÉ AUGUSTO SANTOS

Um golo e um corte decisivo no último minuto da compensação de António Silva quando Trubin já estava batido fez a diferença num jogo em que o empate não escandalizava, seria até o resultado que refletia o equilíbrio durante os 99 minutos e um prémio para o bom desempenho do Estoril, num jogo com uma boa arbitragem de André Narciso.

Online há

em

Um golo e um corte decisivo no último minuto da compensação de António Silva quando Trubin já estava batido fez a diferença num jogo em que o empate não escandalizava, seria até o resultado que refletia o equilíbrio durante os 99 minutos e um prémio para o bom desempenho do Estoril, num jogo com uma boa arbitragem de André Narciso.

Roger Schmidt arriscou nas cinco alterações que fez na gestão física de alguns jogadores do plantel, alterações que diminuíram a qualidade e velocidade na circulação e na primeira parte só através de algumas desmarcações de Tengstedt criou perigo e se não fosse o desacerto do avançado dinamarquês no remate, o Benfica teria conseguido marcar na 1ª parte.

O meio-campo não funcionou, Florentino esteve precipitado no passe e Rafa, Neres e João Mário, os principais desequilibradores do Benfica foram sempre bem contrariados pelas ações individuais dos jogadores do Estoril na sua organização defensiva.

Ofensivamente faltou ao Estoril eficácia nas transições de Rafik Guitane a partir do corredor direito com movimentos para o corredor central nas costas de Florentino e Chiquinho em que só faltou melhor definição e qualidade no último passe para aproveitar situações de igualdade e até vantagem numérica.

A opção de Vasco Seabra na sua estrutura tática de cinco defesas, quatro médios com os alas a acompanhar a projeção para o ataque dos laterais do Benfica surtiu efeito e só as demarcações de Tengstedt causaram problemas 1ª parte.

Advertisement

Na segunda parte o Estoril entrou a pressionar mais alto e mais rápido nos contra-ataques, a aproveitar alguns erros do Benfica, poderia ter marcado naquele remate de Heriberto ao poste esquerdo de Trubin.

Roger Schmidt demorou a fazer substituições, quando era evidente que a equipa não estava a funcionar na sua organização coletiva com alguns jogadores cansados e desinspirados, mas a vitória alcançada no tempo de compensação dá sempre razão a quem tem de optar. Um Benfica desgastado fisicamente pelo jogo de Milão não faz um bom jogo, mas consegue os 3 pontos com António Silva que até nem estava a fazer uma grande exibição, a vestir a pele de herói, marcando o golo da vitória com um colocado golpe de cabeça e impedindo o Estoril de marcar na última bola parada do jogo ao fazer um corte totalmente decisivo para a conquista da vitória.

Boa exibição de todos os jogadores do Estoril com destaque para Guitane, o melhor em campo, Volnei e Koindredi e no Benfica António Silva, Chiquinho e Otamendi foram os melhores

O penalti sobre Chiquinho não existe. Precipitação de André Narciso que alertado pelo VAR, Rui Costa retificou a sua primeira decisão. Boa arbitragem, sem influência no resultado e na dinâmica do jogo.


José Augusto Santos, Comentador Desportivo e Treinador de Futebol Nível IV UEFA Pro.

Advertisement
Advertisement
DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

DESPORTO

LIGA DOS CAMPEÕES: FC PORTO VENCE ARSENAL COM GOLO DE GALENO AOS 90+4

Um golo de Galeno, em tempo de compensação, deu hoje ao FC Porto a vitória por 1-0 sobre o Arsenal, na primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, no Estádio do Dragão.

Online há

em

Um golo de Galeno, em tempo de compensação, deu hoje ao FC Porto a vitória por 1-0 sobre o Arsenal, na primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, no Estádio do Dragão.

O tento do triunfo surgiu no derradeiro minuto dos ‘descontos’, aos 90+4, permitindo que os ‘dragões’, campeões europeus em 1987 e 2004, entrem em vantagem no encontro da segunda mão, agendado para 12 de março, em Londres.

O FC Porto procura superar os ‘oitavos’ da ‘Champions’ pela sexta vez, depois de 2003/04, 2008/09, 2014/15, 2018/19 e 2020/21.

LER MAIS

DESPORTO

BENFICA: SCHMIDT DESTACA “BOA FASE” DA EQUIPA MOTIVADA PARA OS “OITAVOS”

O treinador Roger Schmidt destacou hoje a boa fase que o Benfica atravessa, pelo que espera dar continuidade ao momento no encontro com os franceses do Toulouse, rumo aos oitavos de final da Liga Europa em futebol.

Online há

em

O treinador Roger Schmidt destacou hoje a boa fase que o Benfica atravessa, pelo que espera dar continuidade ao momento no encontro com os franceses do Toulouse, rumo aos oitavos de final da Liga Europa em futebol.

Na passada semana, no Estádio da Luz, dois penáltis concretizados pelo argentino Ángel Di María, aos 68 e 90+8 minutos, com um tento do dinamarquês Mikkel Desler pelo meio, aos 75, selaram o 2-1 a favor das ‘águias’, mas, na quinta-feira, em Toulouse, o desafio da segunda mão do play-off será “diferente”.

“Espero um jogo difícil, porque a segunda mão de um jogo a eliminar é sempre diferente e difícil. A abordagem será um pouco diferente, eles precisam de golos para continuar e têm de atacar um pouco mais. Acreditamos em nós, queremos jogar o nosso futebol ofensivo e mostrar durante os 90 minutos que merecemos continuar na competição”, perspetivou, em conferência de imprensa.

E acrescentou: “A equipa está muito motivada. Estamos a atravessar uma boa fase e estamos bem o suficiente para vencermos o jogo”.

Para ultrapassar, novamente, o 13.º classificado da Liga francesa, as ‘águias’ vão ter de “jogar sempre com intensidade e transições”, de forma a “colocar o jogo longe” da sua área, segundo Schmidt.

Advertisement

A mãe do médio João Neves faleceu recentemente, com o treinador a mostrar-se solidário, embora sem garantir a titularidade do internacional luso em Toulouse.

“Muito chocado e triste. Estamos todos compreensivos sobre a decisão dele de treinar e jogar, porque era o que queria. A vida continua, estamos com ele e vamos falar antes de tomar a decisão sobre se joga ou não”, terminou.

O guarda-redes Trubin falou aos jornalistas antes do técnico germânico, para vincar que o objetivo dos ‘encarnados’ passa pela qualificação para os oitavos de final da competição.

“Todas as competições são muito importantes para o Benfica. O foco é vencer o Toulouse e avançar para a próxima fase. Espero que não seja necessário irmos a penáltis para ultrapassarmos a eliminatória”, expressou.

O Toulouse recebe o Benfica na quinta-feira, em jogo da segunda mão do play-off de acesso aos oitavos de final da Liga Europa, com início às 17:45 (hora de Lisboa), que será arbitrado pelo italiano Maurizio Marinai.

Advertisement
LER MAIS

MAIS LIDAS