LIGUE-SE A NÓS

O QUE PROCURA ?

REGIÕES

VILA REAL: FOGO REATIVADO PRÓXIMO DE ALDEIAS NA ZONA FLORESTAL DO ALVÃO

A reativação forte verificada esta tarde na zona de Relva e Outeiro, na serra do Alvão, Vila Real, ocorreu em área próxima de aldeias e em zona de pinhal, depois de um dia de trabalhos de consolidação, segundo a Proteção Civil.

blank

A reativação forte verificada esta tarde na zona de Relva e Outeiro, na serra do Alvão, Vila Real, ocorreu em área próxima de aldeias e em zona de pinhal, depois de um dia de trabalhos de consolidação, segundo a Proteção Civil.

“Tivemos efetivamente esta reativação. Foi depois de um dia que correu favoravelmente, esta reativação inesperada numa aérea próxima de populações e com um pequeno povoamento de pinhal que nos obrigou a reposicionar os meios e a alterar a estratégia””, afirmou Miguel Fonseca, comandante distrital de operações de socorro (CODIS) de Vila Real.

No terreno, segundo o responsável, as operações estão a “decorrer com algum nível de dificuldade”.

O fogo aproximou-se da aldeia de Cravelas, mas, segundo o CODIS, “não houve necessidade retirar pessoas”.

O vento que se verifica no terreno é uma preocupação para os operacionais.

“Contamos com descida de temperatura, mas o vento vai subir de velocidade e contamos que faça uma rotação de forma a direcionar o incêndio mais para o lado da área ardida nos últimos dias”, referiu.

Ao teatro de operações estão, de acordo com o responsável, a chegar reforços, havendo um posicionamento de bombeiros numa área queimada já no ano passado, pretendendo-se aproveitar “essa oportunidade para poder confinar” o fogo.

Este incêndio teve início na manhã de domingo, queimou uma área de 4.500 hectares de mato e pinhal e entrou em resolução ao início da noite de segunda-feira.

Miguel Fonseca disse que o distrito de Vila Real teve esta tarde quatro fogos ativos com “nível de dificuldade muito alto”, referindo, no entanto, que “tem havido uma capacidade para canalizar reforços”.

Segundo o ‘site’ da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), pelas 21:00 estavam mobilizados para este incêndio 408 operacionais e 120 viaturas.

Em Paradança, Mondim de Basto, 82 operacionais, com o apoio de 22 viaturas, combatem um incêndio que levou à retirada, por precaução, de 16 pessoas, duas de uma habitação privada e 14 de uma estalagem.

O presidente da Câmara de Mondim de Basto, Bruno Ferreira, disse à Lusa que as pessoas que foram transportadas para o Estádio Municipal e que estão a ser acompanhadas pelos serviços de ação social do município”.

Os outros dois incêndios que lavravam no distrito, em Mesão Frio e em Valpaços, estão já em fase de resolução.

Quer comentar ?

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

REGIÕES

A Câmara de Oeiras vai criar um fundo, cujo valor será ainda determinado, para apoiar os comerciantes na sequência dos estragos provocados pelo mau...

REGIÕES

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) emitiu hoje avisos laranja e amarelos para o arquipélago dos Açores, por causa da chuva...

REGIÕES

O mau tempo registado em Portugal na última noite provocou um total de 1.977 ocorrências, destacando-se o distrito de Lisboa com 913, anunciou hoje...

REGIÕES

Mais de uma centena de pessoas tiveram que sair temporariamente das suas casas na sequência das fortes chuvas de quarta-feira, que atingiram sobretudo os...

RÁDIO REGIONAL

blank


DESPORTO DIRETO


LINHA CANCRO

RÁDIO REGIONAL


EMISSÃO NACIONAL



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER




EMISSÃO REGIONAL



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER




WEBRÁDIOS TEMÁTICAS



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER