Ligue-se a nós

REGIÕES

VILA REAL: NOVO “MAMÓGRAFO” VAI PERMITIR EXAMES MAIS RIGOROSOS

O Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD) dispõe de um novo mamógrafo que introduz na região “tecnologia diferenciadora” e novos exames, evita deslocações ao Litoral e permite um diagnóstico mais preciso do cancro da mama.

Online há

em

O Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD) dispõe de um novo mamógrafo que introduz na região “tecnologia diferenciadora” e novos exames, evita deslocações ao Litoral e permite um diagnóstico mais preciso do cancro da mama.

“O novo equipamento para além de substituir o mamógrafo antigo, que já estava ultrapassado, também tem tecnologia mais diferenciadora, nomeadamente a tomossíntese e a mamografia com contraste, que não tínhamos até agora”, afirmou hoje Catarina Oliveira, diretora do Serviço de Imagiologia do CHTMAD, que tem sede social em Vila Real.

João Abrantes, coordenador da Radiologia Mamária, acrescentou que “a aquisição deste novo equipamento de mamografia com tomossíntese representa um avanço importante na prática clínica na Unidade da Mama do Serviço de Imagiologia do CHTMAD”.

“Este dispositivo permite-nos a realização de tomossíntese, um avanço tecnológico em relação à mamografia digital convencional, para além da possibilidade de realização de tomobiópsia ou mamografia com contraste, garantindo uma qualidade de imagem superior, essencial para diagnósticos mais precisos”, salientou o responsável.

O aparelho custou cerca de 285 mil euros e foi financiado por verbas próprias do CHTMAD.

“Representa uma evolução significativa para a nossa unidade, melhorando consideravelmente o fluxo de trabalho e permitindo uma abordagem mais eficiente e segura. Com estas inovações, estamos preparados para manter um elevado padrão de qualidade aproveitando as vantagens da nova tecnologia, com a realização de tomossíntese em todas as examinadas e tendo ainda a possibilidade de complementar o estudo através da mamografia com contraste, especialmente útil em situações de contraindicação à ressonância magnética mamária”, explicou João Abrantes.

Catarina Oliveira disse que o mamógrafo do CHTMAD é também “o único equipamento do género do sistema público” desta região, servindo utentes do distrito de Vila Real, da zona de Bragança e do norte do distrito de Viseu.

“Por isso era crucial que ele fosse substituído e, para além de o substituirmos, ainda fazemos um ‘upgrade’ com as duas áreas, a tomossíntese e mamografia com contraste”, destacou, referindo que o anterior mamógrafo era já “bastante antigo”.

Até agora, se fosse preciso fazer esses exames era preciso ir ao Litoral, uma deslocação que se evita com o novo equipamento.

A responsável explicou que os novos exames permitem “detetar mais facilmente as patologias, sobretudo o cancro da mama”, salientando que este diagnóstico “tem que ser feito precocemente para que o tratamento também seja feito de forma adequada”.

“Quanto mais precoce o diagnóstico também melhores são as possibilidades de cura da patologia na área da mama”, sublinhou.

De acordo com Catarina Oliveira, no CHTMAD são realizadas entre 2.000 a 3.000 mamografias por ano.

A diretora do Serviço de Imagiologia referiu ainda que a incidência do cancro da mama está a aumentar, cada vez em idades mais jovens e em idades que o rastreio atualmente não abrange.

O programa de rastreio de cancro da mama é dirigido a mulheres assintomáticas, com idade compreendida entre os 50 e os 69 anos, e consta na realização de uma mamografia cada dois anos.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

REGIÕES

VILA FLOR: AUTARQUIA DISPONIBILIZA WHATSAPP PARA COMUNICAR COM MUNÍCIPES

Vila Flor, no distrito de Bragança, vai ter em breve à disposição dos munícipes e visitantes uma plataforma que permite comunicar diretamente com a autarquia, informou hoje a Câmara Municipal.

Online há

em

Vila Flor, no distrito de Bragança, vai ter em breve à disposição dos munícipes e visitantes uma plataforma que permite comunicar diretamente com a autarquia, informou hoje a Câmara Municipal.

O objetivo é aproximar e facilitar a comunicação com os munícipes e visitantes. A aplicação está em fase de testes, para serem afinados e otimizados os pormenores da utilização. A previsão é que possa entrar em pleno funcionamento em setembro.

“Qualquer ‘smartphone’ que tenha o WhatsApp instalado, ao entrar na zona de Vila Flor recebe uma mensagem e é convidado a entrar na plataforma, podendo ou não aderir. Se aceitar o convite, faz um breve registo onde pedimos que nos diga a sua origem, e depois pode comunicar diretamente com os serviços ou com o executivo de Vila Flor”, explicou o presidente da Câmara Municipal, Pedro Lima.

Para o autarca, esta ferramenta é uma forma prática e atual de comunicar.

“É uma inovação na gestão autárquica que ainda existe muito pouco nos nossos municípios portugueses. Hoje em dia, todos, à parte de uma franja que está um pouco infoexcluída, usam WhatsApp. Por isso vimos como uma oportunidade”, considerou Pedro Lima.

Se a mensagem for dirigia ao presidente da câmara, o município explicou que primeiro é enviada uma mensagem de boas-vindas e que depois Pedro Lima responde ao solicitado.

“Questões que envolvam alguma consulta, como do foro jurídico ou regulamentar da câmara, tenho de pedir apoio nesse departamento. Mas a resposta virá sempre através de mim (…)”, garantiu o autarca.

A nova funcionalidade vai estar disponível 24 horas, todos os dias do ano, e é interativa, ao permitir ainda “comunicar ocorrências, aceder a informação institucional, colocar dúvidas e fazer sugestões e até falar diretamente com o presidente da Câmara Municipal ou agendar uma reunião”, detalhou o município.

Por exemplo, para reportar uma ocorrência, o programa apresenta uma lista com várias opções predefinidas, para facilitar a comunicação. Pode até ser anexada uma fotografia e as coordenadas de localização, para uma resposta mais eficiente.

A plataforma vai estar disponível em português e em inglês, a pensar também nos visitantes, que podem obter informações sobre onde dormir, onde comer ou qual a farmácia de serviço.

Esta é também uma forma, segundo Pedro Lima, de recolher informação sobre a faixa etária ou o local de residência de quem aceder à aplicação, o que vai permitir dar uma resposta mais adequada às necessidades e perceber o perfil de quem visita o concelho.

Vila Flor é um dos 12 concelhos do distrito de Bragança, tem uma área de 265,81 quilómetros quadrados e 14 freguesias. De acordo com os últimos censos, conta com cerca de seis mil habitantes.

LER MAIS

REGIÕES

PORTO: ATROPELAMENTO NA RUA CHAVES DE OLIVEIRA SOB INVESTIGAÇÃO

A PSP está hoje a investigar o atropelamento, na quarta-feira à noite, de um funcionário de um posto de abastecimento de combustíveis na Rua Chaves de Oliveira, no Porto, quando tentava travar o furto de combustível.

Online há

em

A PSP está hoje a investigar o atropelamento, na quarta-feira à noite, de um funcionário de um posto de abastecimento de combustíveis na Rua Chaves de Oliveira, no Porto, quando tentava travar o furto de combustível.

Em declarações à Lusa, fonte das Relações Públicas do Comando Metropolitano do Porto da PSP explicou que “estão a ser trabalhadas as gravações vídeo” para identificar a viatura usada, assim como os suspeitos.

Os alegados autores do crime chegaram ao posto, pararam e encheram diversos recipientes de combustível que colocaram dentro da viatura e preparavam-se para sair sem pagar, disse.

O funcionário apercebeu-se do furto e tentou travar a fuga, acabando por ser atropelado.

A vítima foi assistida no local pela equipa da viatura de emergência médica, do Hospital de Santo António, tendo posteriormente sido transportado para o Hospital de São João.

LER MAIS

MAIS LIDAS