LIGUE-SE A NÓS

O QUE PROCURA ?

REGIÕES

LISBOA: CÂMARA MUNICIPAL ALVO DE BUSCAS DA POLÍCIA JUDICIÁRIA

A Câmara Municipal de Lisboa confirmou hoje a realização de buscas no departamento de Urbanismo da autarquia, mas remeteu mais esclarecimentos para as autoridades judiciais.

blank

A Câmara Municipal de Lisboa confirmou hoje a realização de buscas no departamento de Urbanismo da autarquia, mas remeteu mais esclarecimentos para as autoridades judiciais.

“Qualquer esclarecimento deverá ser prestado pelas autoridades judiciais”, disse à Lusa fonte oficial da Câmara Municipal de Lisboa, confirmando apenas as buscas no departamento de Urbanismo.

A TVI/CNN Portugal noticiou hoje à noite que a Polícia Judiciária realizou, na terça-feira, buscas na Câmara de Lisboa por “suspeitas de corrupção, participação económica em negócio e falsificação”, numa nomeação para “prestação de serviços que foi assinada em 2015” pelo então presidente da autarquia, Fernando Medina, que é agora ministro das Finanças.

Segundo a TVI, em causa estarão “a viciação das regras para a contratação de um histórico do PS de Castelo Branco com vista à gestão das obras públicas na capital”.

“O Ministério Público acredita que o objetivo do esquema visou a angariação de dinheiro em obras públicas, com subornos de empreiteiros, para o financiamento ilícito do PS, através dos chamados sacos azuis”, refere a TVI.

Ainda de acordo com a estação de televisão, a PJ realizou buscas no departamento de Urbanismo da Câmara de Lisboa e nas casas e empresas de dois empresários de Castelo Branco, suspeitos de participarem num esquema de angariação de fundos para estruturas do Partido Socialista.

“Os alvos, por suspeitas de corrupção, são Joaquim Morão, histórico socialista e ex-autarca de Castelo Branco e de Idanha a Nova, e o seu amigo António Realinho, empresário da mesma zona do país, que até já cumpriu pena de prisão por burla”, segundo a TVI.

A Lusa contactou o Ministério das Finanças e a Polícia Judiciária para mais esclarecimentos sobre o caso, mas até ao momento não foi possível obter uma resposta.

Em declarações à TVI, Fernando Medina disse não ter conhecimento de qualquer investigação, acrescentando apenas que “os processos de contratação da Câmara Municipal de Lisboa eram instruídos pelos serviços competentes para contratação, no cumprimento das normas aplicáveis”.

Quer comentar ?

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

NACIONAL

A antiga presidente da associação Raríssimas Paula Brito da Costa foi acusada pelo Ministério Público de abuso de confiança e falsificação de documentos, imputando-lhe...

REGIÕES

A ministra da Coesão Territorial considerou hoje o Plano Estratégico da Terra de Miranda, delineado para o Planalto Mirandês, no distrito de Bragança, como...

INTERNACIONAL

O primeiro-ministro ucraniano Denys Shmygal, disse hoje que a guerra na Ucrânia causou até agora entre 550 e 690 mil milhões de euros de...

REGIÕES

Moradores nas proximidades do bairro da Pasteleira e de Pinheiro Torres asseguraram hoje que com o consumo e tráfico de droga aquela zona do...

RÁDIO REGIONAL

blank


DESPORTO DIRETO


LINHA CANCRO

RÁDIO REGIONAL


EMISSÃO NACIONAL



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER




EMISSÃO REGIONAL



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER




WEBRÁDIOS TEMÁTICAS



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER



ABRIR PLAYER