Ligue-se a nós

DESPORTO

PORTUGAL EMPATA COM A SÉRVIA COM GOLO POLÉMICO (VÍDEO)

A seleção portuguesa de futebol empatou hoje 2-2 com Sérvia, depois de chegar ao intervalo a vencer por 2-0, em encontro da segunda jornada do Grupo A europeu de apuramento para o Mundial de 2022, em Belgrado.

Online há

em

nbsp| JORNAL ONLINE

A seleção portuguesa de futebol empatou hoje 2-2 com Sérvia, depois de chegar ao intervalo a vencer por 2-0, em encontro da segunda jornada do Grupo A europeu de apuramento para o Mundial de 2022, em Belgrado.

Diogo Jota marcou os dois primeiros golos do encontro, aos 11 e 36 minutos, para um total de cinco na seleção ‘AA’, em 11 jogos, mas, na segunda parte, Aleksandar Mitrovic, aos 46, e Filip Kostic, aos 60, restabeleceram a igualdade.

Com este resultado, Sérvia e Portugal, que se tinham estreado na quarta-feira com triunfos, face a República da Irlanda (3-2) e Azerbaijão (1-0), respetivamente, repartem a liderança do agrupamento, com quatro pontos.

GOLO DE CRISTIANO RONALDO

Fernando Santos celebrou hoje com um empate (2-2) amargo na Sérvia, em jogo de apuramento para o Mundial de 2022, o jogo 1.000 da sua carreira como treinador principal de futebol, iniciada há mais de 33 anos.

No seu jogo 1.000, Portugal chegou ao intervalo a vencer por 2-0, com um ‘bis’ de Diogo Jota (11 e 36 minutos), mas Aleksandar Mitrovic (49) e Filip Kostic (60) empataram e, no final dos descontos, o árbitro não validou um golo a Cristiano Ronaldo em que a bola ultrapassou a linha. Faltaram as tecnologias.

Do ‘episódio’ 1, um empate a um golo na receção ao Barreirense, na 16.ª jornada da Zona Sul da II Divisão, em 10 de janeiro de 1988, ao comando do Estoril, ao milésimo, hoje, em Belgrado, o atual selecionador luso somou 498 vitórias, 253 empates e 249 derrotas, com 1.469 golos marcados e 947 sofridos.

A época de 2020/21, é a 34.ª consecutiva de Fernando Santos como treinador principal, num trajeto em que se ‘distinguem’ oito troféus, dois por Portugal, o Euro2016 e a Liga das Nações de 2019, cinco pelo FC Porto, um campeonato, o ‘penta’, duas Taças de Portugal e duas Supertaças, e ainda um pelo AEK, a Taça da Grécia.

O maior feito a maior da história foi, indiscutivelmente, escrito em 10 de julho de 2016, no Estádio Saint-Denis, nos arredores da ‘Cidade Luz’, a inesquecível vitória sobre a França na final do Euro2016.

O triunfo foi selado por Éder, que foi a terceira ‘cartada’ de Fernando Santos na final e virou ‘herói’, no ‘mítico’ minuto 109, colocando-se na história como o autor do golo mais importante da história de quase um século da formação das ‘quinas’.

Foi o jogo 945 da carreira de Fernando Santos, no que respeita aos seniores, não contando os particulares dos clubes ou os jogos em que comandou “miúdos”, do Império da Picheleira aos juvenis e juniores do Estoril Praia, quando ainda era futebolista.

Em equipas principais, e como treinado principal, o jogo 1 é o com o Barreirense e para a história entraram Sérgio, Vinhas (Carlitos), Martins, Paulinho, José Carlos, Borreicho, Eugénio, Jorge Pereira, Martinho (José Pedro), Pedro e Roberto.

O empate 1-1 não satisfez o técnico nascido em Lisboa, em 10 de outubro de 1954, há 66 anos, porque, nas suas palavras “o Estoril foi a melhor equipa em campo”.

Esse embate, proporcionado pelo ‘adeus’ de António Fidalgo rumo ao Salgueiros, foi também o primeiro de 232 pelo Estoril Praia, com 81 vitórias, 73 empates e 78 derrotas (251-263 em golos), num trajeto marcado pelo segundo lugar na edição inaugural da II Divisão de Honra e a subida à I Liga.

Saiu dos ‘canarinhos’ após a ronda 22 da I Liga 1993/94 e na época seguinte manteve-se na divisão principal, no Estrela da Amadora, no qual cumpriu quatro épocas, com 39 vitórias, 45 empates e 49 derrotas (139-164 em golos), em 133 jogos.

O seu bom trabalho na Reboleira não passou despercebido e, na época seguinte, rumou ao seu primeiro ‘grande’, o FC Porto, com a enorme responsabilidade de suceder a Bobby Robson e António Oliveira e selar um inédito ‘penta’ no futebol luso.

E, para a história, entrou mesmo como o ‘engenheiro do penta’, sendo que, além do campeonato de 1998/99, venceu, em três temporadas, duas edições da Taça de Portugal e duas da Supertaça, para um total de 98 vitórias, 31 empates e 27 derrotas (310-126 em golos), em 156 encontros.

Seguiu-se a internacionalização, a primeira aventura na Grécia, o seu ‘segundo’ país, com uma época no AEK Atenas, para conquistar a Taça da Grécia, na mais importante de 38 vitórias, mais cinco empates e oito derrotas (134-51 em golos), em 51 jogos.

A boa época no AEK abriu-lhe as ‘portas’ do Panathinaikos, mas essa acabou por ser a mais curta experiência da carreira – cumpriu apenas nove encontros, em 2002/03, nos quais somou seis triunfos e três desaires, com 11 golos marcados e três sofridos.

Na temporada seguinte, o segundo ‘grande’, o Sporting e a angústia de perder Cristiano Ronaldo antes do arranque, culpa de uma ‘enorme’ exibição do ‘miúdo’, na inauguração do novo Estádio José Alvalade, face ao Manchester United, que o levou.

Somou, pelos ‘leões’, 26 vitórias, cinco empates e nove derrotas (66-38), mas não arrebatou qualquer troféu e voltou à Grécia, e ao AEK, para novas duas épocas e 86 jogos, traduzidos em 47 vitórias, 23 empates e 16 derrotas (121-70 em golos).

A sua carreira manteve-se uma ‘ponte aérea’ entre Portugal e Grécia e foi tempo de regressar e completar o ciclo dos três ‘grandes’, com o ingresso no Benfica, que comandou a 29 vitórias, 11 empates e nove derrotas (86-41 em golos), em 49 encontros.

Como pelos ‘verde e brancos’, também não conseguiu títulos na Luz, saindo após míseros dois jogos em 2007/08, numa decisão da qual Luís Filipe Vieira já se confessou arrependido.

Apanhou, de imediato, o avião para a Grécia, agora rumo ao PAOK Salónica, que comandou três épocas (2007/10), num total de 114 encontros, nos quais somou 58 vitórias, 24 empates e 32 derrotas, com 132 golos marcados e 92 sofridos.

O trabalho que fez nos clubes valeu-lhe o salto para a seleção da Grécia, com qual chegou aos ‘quartos’ do Europeu de 2012 e aos ‘oitavos’ do Mundial de 2014, para ‘cair’, amargamente, nos penáltis, face à Costa Rica, na despedida, após 26 vitórias, 17 empates e seis derrotas (56-36 em golos), em 49 encontros.

Desde 2014, Fernando Santos é o selecionador luso e na história já está como o primeiro que levou Portugal a um título: já são aliás, dois, pois juntou ao Euro2016 e a primeira edução da Liga das Nações, em 2019: para já, são 81 jogos, nos quais contabiliza 50 vitórias, 19 empates e 12 derrotas, com 163-59 em golos.

“Aquilo que eu gostava de cumprir como objetivo era levar Portugal a ser campeão do mundo, obviamente”, confessou à Lusa, na véspera do jogo 1.000. O contador vai prosseguir.

DESPORTO

FC PORTO VENCE TAÇA DE PORTUGAL E CONSEGUE NONA DOBRADINHA

O campeão FC Porto conquistou a Taça de Portugal, 18.ª do seu historial, depois de vencer na final o Tondela, por 3-1, e conseguiu a nona ‘dobradinha’, juntando os dois títulos mais importantes a nível interno.

Online há

em

nbsp| JORNAL ONLINE

O campeão FC Porto conquistou a Taça de Portugal, 18.ª do seu historial, depois de vencer na final o Tondela, por 3-1, e conseguiu a nona ‘dobradinha’, juntando os dois títulos mais importantes a nível interno.

No Estádio Nacional, o avançado iraniano Taremi ‘bisou’, com golos aos 22 minutos, de penálti, e aos 74, falhando ainda nova grande penalidade aos 66, com Vítor Ferreira a apontar o outro tento do FC Porto, aos 52, enquanto Neto Borges anotou o golo do estreante Tondela, aos 73.

Com este troféu, os ‘dragões’ passam a somar mais uma Taça de Portugal do que o Sporting, mas estão ainda longe do recordista Benfica, com 26, num dia em que Sérgio Conceição se tornou no primeiro treinador do FC Porto a conseguir a ‘dobradinha’ por duas vezes, depois de em 2019/20 ter cometido idêntica proeza.

LER MAIS

DESPORTO

PLAYOFF: DESPORTIVO DE CHAVES VENCE O MOREIRENSE E ESTÁ COM UM PÉ NA PRIMEIRA LIGA

O Desportivo de Chaves venceu o Moreirense por 2-0, no primeiro jogo do ‘play-off’, e está em boa posição para conseguir a última vaga na I Liga da próxima época.

Online há

em

nbsp| JORNAL ONLINE

O Desportivo de Chaves venceu o Moreirense por 2-0, no primeiro jogo do ‘play-off’, e está em boa posição para conseguir a última vaga na I Liga da próxima época.

A jogar em casa, o Desportivo de Chaves, terceiro posicionado da II Liga, adiantou-se no marcador aos 15 minutos, com um golo de João Teixeira, e fez o segundo aos 68, por João Correia, com o Moreirense, 16.º da I Liga, a não conseguir responder.

No segundo jogo do ‘play-off’, marcado para o dia 29 de maio, em Moreira de Cónegos, vai decidir-se qual das equipas marca presença na I Liga na época 2022/23, com o Desportivo de Chaves em vantagem.

LER MAIS

DESPORTO

RICARDO QUARESMA ANUNCIA SAÍDA DO VITÓRIA DE GUIMARÃES

Avançado português Ricardo Quaresma confirmou a saída do Vitória de Guimarães, emblema que representou por duas temporadas, e adiantou o desejo de continuar a jogar.

Online há

em

nbsp| JORNAL ONLINE

Avançado português Ricardo Quaresma confirmou a saída do Vitória de Guimarães, emblema que representou por duas temporadas, e adiantou o desejo de continuar a jogar.

O internacional português Ricardo Quaresma confirmou nesta sexta-feira a saída do Vitória de Guimarães, emblema da I Liga portuguesa de futebol, que representou por duas temporadas, e adiantou o desejo de continuar a jogar, aos 38 anos.

“Chegou ao fim a minha relação com o Vitória Sport Clube. Confesso que em campo gostaria de ter podido ajudar mais a equipa. E que senti por vezes uma certa tristeza em não me ser dada a oportunidade de o fazer como gostaria”, escreveu, na página oficial na rede social Instagram.

Autor de quatro golos e de seis assistências nos 31 jogos oficiais ao serviço dos vimaranenses na época 2020/21, correspondentes a 1.774 minutos, o extremo viu a utilização reduzida para 1.070 minutos na época recém-concluída, em que fez dois golos e uma assistência pelo sexto classificado do campeonato.

Quaresma vincou, porém, que fez o seu “papel fora de campo”, ao contribuir para a “valorização da marca Vitória e da cidade de Guimarães” e, agora, no momento da saída, para a mitigação das “dificuldades financeiras” que a SAD vimaranense atravessa, com 47 milhões de euros de passivo, segundo informação avançada na mais recente assembleia geral do clube, em abril de 2022.

“Eu podia, vocês bem sabem, ficar mais um ano de contrato, mas também não posso ficar indiferente às dificuldades financeiras que o Vitória está a passar. Desta forma posso também ajudar o clube a poupar um pouco. Espero inspirar outros a fazerem o mesmo e a não ficarem agarrados a contratos onde só se beneficiam a si próprios”, realçou.

O antigo jogador de clubes como Sporting, FC Porto, Inter de Milão, Chelsea e Besiktas mostrou-se ainda grato pelo “carinho” e pela “frontalidade” com que foi tratado pelos adeptos vitorianos e pela “boa disposição” dos trabalhadores do clube, tendo prometido que vai continuar a jogar.

“Ainda não chegou a minha altura de arrumar as botas. Estou em forma, ainda sei jogar futebol e quero continuar a fazer aquilo que me faz feliz. Em breve, voltaremos a encontrar-nos no campo. A trivela ainda vai fazer levantar muitos estádios”, escreveu ainda o autor de 10 golos em 80 internacionalizações pela seleção portuguesa.

LER MAIS

DESPORTO

FPF: CONSELHO DE DISCIPLINA INSTAURA PROCESSO DE INQUÉRITO AO RIO AVE

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) deliberou em plenário instaurar um processo de inquérito ao Rio Ave.

Online há

em

nbsp| JORNAL ONLINE

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) deliberou em plenário instaurar um processo de inquérito ao Rio Ave.

Em causa está uma queixa apresentada pelo Grupo Desportivo de Chaves onde o Rio Ave é acusado de não ceder ao emblema transmontano a percentagem de bilhetes obrigatória nos termos dos regulamentos das provas desportivas.

Na queixa dirigida à Federação Portuguesa de Futebol (FPF) a que a Rádio Regional teve acesso “Os clubes visitantes têm direito a requisitar até 5% do número de bilhetes da capacidade total dos lugares do estádio, destinados exclusivamente aos seus adeptos, numa área separada e segura implementada sob a responsabilidade do clube organizador” alegam os flavienses.

O Rio Ave não terá enviado os 687 bilhetes a que o Grupo Desportivo de Chaves tem direito ao abrigo do Regulamento de Competições da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (RDLFPF). Rio Rio Ave incorre assim em multa entre 3.000 euros (250 UC) e 255.000 euros (1500 UC) conforme prevê o RDLFPF.

A Rádio Regional apurou que a reunião plenária da Secção Profissional de Futebol do Conselho de Disciplina da FPF do passado dia 17-05-2022 deliberou instaurar o inquérito 25-2021/2022 e assim investigar os factos denunciados pelos Valentes Transmontanos referentes à última jornada da Liga Portugal Sabseg que colocava frente-a-frente o Rio Ave e o GD Chaves num jogo decisivo para a promoção à Primeira Liga.

LER MAIS

MAIS LIDAS