Ligue-se a nós

DESPORTO

BOAVISTA FC: O DOCUMENTO FALSO QUE A LIGA “NÃO VIU” – INVESTIGAÇÃO

O Boavista Futebol Clube (BFC) atravessa um dos momentos mais negros da sua história. Nos tribunais amontoam-se os processos, penhoras e pedidos de insolvência. À longa lista de credores junta-se a Autoridade Tributária e Segurança Social. Os indícios de irregularidades justificaram uma investigação jornalística da Rádio Regional. O interesse público é inquestionável. Hoje vamos revelar o documento falso que permitiu o Boavista FC (SAD) disputar as competições profissionais na época 2023/2024. Apesar de todas as ameaças de que temos sido alvo não desistimos de contar a verdade.

Online há

em

Fotografia JN

O Boavista Futebol Clube (BFC) atravessa um dos momentos mais negros da sua história. Nos tribunais amontoam-se os processos, penhoras e pedidos de insolvência. À longa lista de credores junta-se a Autoridade Tributária e Segurança Social. Os indícios de irregularidades justificaram uma investigação jornalística da Rádio Regional. O interesse público é inquestionável. Hoje vamos revelar o documento falso que permitiu o Boavista FC (SAD) disputar as competições profissionais na época 2023/2024.


A INVESTIGAÇÃO JORNALÍSTICA – VEJA AINDA:

BOAVISTA FC: VITÓRIA AVISA “TEM QUE HAVER JUSTIÇA E IGUALDADE”

BOAVISTA FC: O CLUBE PORTUGUÊS “CAMPEÃO” DA “LISTA NEGRA” DA FIFA

BOAVISTA FC: JUSTIÇA E TRANSPARÊNCIA “A LIGA NÃO PODE IGNORAR” – CONSTANTIN PANAGOPOULOS

BOAVISTA FC: JAIME PACHECO E OUTROS TRABALHADORES PENHORAM A “PANTERA”

BOAVISTA FC NA LISTAGEM DOS MAIORES DEVEDORES DE IMPOSTOS

BOAVISTA FC: DEPOIS DO “CONTROLO SALARIAL” UM NOVO PEDIDO DE INSOLVÊNCIA

BOAVISTA EM INCUMPRIMENTO ARRISCA INSOLVÊNCIA E EXCLUSÃO DA LIGA


UM MAR DE DÍVIDAS

Todos os anos a mesma “história”, de PER em PER o Clube e SAD tentam sobreviver ao incumprimento de 150 milhões em dívidas. Mais de 20 anos depois o Estádio do Bessa continua por pagar. Trabalhadores (inclui atletas e/ou treinadores) reclamam os seus créditos em tribunal, e mesmo depois de lhes ser reconhecida a razão continuam sem receber. Até Jaime Pacheco, o respeitável mister que ganhou o único Campeonato Nacional do Bessa mereceu ser pago dos seus créditos mais que merecidos e nem as humildes e respeitáveis “senhoras da limpeza” receberam pelo seu trabalho.

O Clube apresentou-se a PER com aproximadamente 100 milhões em dívidas cujo futuro está nas mãos dos credores, entre os quais a Somague (maior credor com 54 milhões de créditos reconhecidos) Autoridade Tributária, Segurança Social e trabalhadores.

A SAD segue no mesmo diapasão, um PER em incumprimento e consequência disso uma chuva de penhoras e pedidos de insolvência por parte de trabalhadores e outros credores, entre os quais a Autoridade Tributária e Segurança Social. Também aqui falamos de aproximadamente 50 milhões em dívidas.

A SGPS (BFC Investimentos SGPS) uma empresa “moribunda” na mesma morada da SAD e Clube também é devedora de impostos à Autoridade Tributária. Nem o novo Presidente escapa, também Fary Faye é devedor de impostos à Autoridade Tributária tendo a correr contra si processos de execução fiscal.

Todos sem exceções – SAD, Clube, SGPS e Presidente – são devedores ao estado, nomeadamente e entre outros a Autoridade Tributária e/ou Segurança Social. Hoje dia 20 de junho SAD, SGPS e Fary Fye continuam a fazer parte da Listagem de Devedores à Autoridade Tributária.


A FALSIFICAÇÃO

A Rádio Regional teve acesso ao Processo de Candidatura do Boavista (SAD) às Competições Profissionais da Liga de Clubes relativamente à Época 2023/2024. Analisamos minuciosamente todos os documentos.

Em 2023 o calendário era semelhante a 2024, ou seja, os clubes candidatos tinham até ao dia 15 de maio, excecionalmente até 3 de junho, para juntar as Certidões de Situação Contributiva Regularizada, quer na Autoridade Tributária quer na Segurança Social.

Em 14 de junho de 2023 a Liga notificou a Boavista FC (SAD) da intenção de não aceitar a inscrição nas provas profissionais e consequência disso o BFC ficaria impedido de participar nas Competições Profissionais na Época 2023/2024. Em causa estava a falta de vários documentos excludentes à inscrição do BFC, entre os quais as Certidões da Autoridade Tributária e Segurança Social.

Fora de prazo, em 23 de junho, a Advogada Adelina Trindade Guedes em representação do Boavista FC SAD enviou à Liga Portugal as duas certidões (da AT e SS) acompanhadas de dois ofícios a que a Rádio Regional teve acesso.

Esta foi a Certidão de Situação Contributiva na Autoridade Tributária do Boavista FC (SAD) com o NIF 505xxxxxx que o BFC (SAD) apresentou em 23 de junho de 2023.

Esta foi a Certidão de Situação Contributiva na Segurança Social do Boavista FC (Clube) com o NIF 501xxxxxx que o BFC (SAD) apresentou em 23 de junho de 2023.

O olho atento da Rádio Regional verificou que a Declaração de Situação Contributiva da Segurança Social utilizada pelo Boavista Futebol Clube SAD na inscrição para a Época 2023/2024 é falsa, ou seja, de entidades distintas apesar da semelhança do nome.

SAD e Clube são entidades jurídicas distintas. É exclusivamente sobre a SAD – a candidata – que recai a obrigação legal de fazer prova da inexistência de dívidas à Segurança Social, mas em vez disso, a Advogada do BFC (SAD) usou a Declaração da SS do Clube com o NIF 501xxxxxx para fazer prova que a SAD NIF 505xxxxxx não tinha dívidas, quando a Rádio Regional sabe que à data – 23 de junho – existiam dívidas à Segurança Social e que muito provavelmente não conseguiriam obter a Declaração “limpa” da SS da SAD (como regulamento exige).

Desta forma, ardilosa, o Boavista FC (SAD) “Vendeu Gato por Lebre” para fazer crer à Liga de Clubes que tinha a sua situação regularizada, e assim poder concluir com sucesso a sua inscrição das competições profissionais e detrimento de outros clubes candidatos que cumpriam todos os critérios exigíveis.

“O crime de falsificação de documentos tem várias formas de consumação (…) um documento falso pode ser aquele que é fisicamente forjado ou aquele que sendo verdadeiro é usado para fins inverídicos ou para adulterar um facto juridicamente relevante, verificando-se aqui uma falsidade intelectual ainda que por negligência não deixa de ser crime (…) o que não é novidade na Liga porque à data o Marítimo reclamou da inscrição do Boavista por motivos diferentes (…) por uma questão de transparência a Liga podia e devia ter excluído o Boavista logo em 2023” esclarece Advogado especialista em Direito Desportivo próximo da Liga de Clubes que face às suas declarações pediu anonimato.

A Liga de Clubes, sobre quem recai a organização gestão e organização das Competições Profissionais por força do Decreto-lei 248-b/2008 de 31 de dezembro não viu – ou não quis ver – que terá sido ludibriada com um documento falso e assim validou a inscrição do Boavista FC nas Competições Profissionais relativamente à Época 2023/2024.

A Liga de Clubes que em 2022 lançou a “Carta da Integridade” pela “Ética e Transparência”,  e sobre a qual recai o dever – e obrigação – de esclarecer todas as questões relativas às competições por si organizadas e sobre as qual detém a tutela legal, não respondeu, ou não quis responder, aos vários pedidos de esclarecimento enviados numa primeira fase ao Departamento de Comunicação.

Atentos às várias dúvidas e incertezas em que o BFC (SAD) está envolvido e no legítimo exercício do escrutínio jornalístico, dia 11 de junho a Rádio Regional questionou diretamente Telmo Viana , responsável pelo Licenciamento, Transparência e Monitorização dos Clubes da Liga Portugal ao qual nunca respondeu. Também ao Boavista lhe foi dado o direito de contraditório, que foi recusado, por alegadamente estarem de “férias”.

Apesar de todas as ameaças de que temos sido alvo não desistimos de contar a verdade, e a Rádio Regional vai continuar a investigar este estranho mundo “xadrez” da Pantera.


Vítor Fernandes

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

DESPORTO

BOAVISTA FC: BORDÉUS “DESISTIU” E FOI DESPROMOVIDO À “TERCEIRA DIVISÃO” FRANCESA

Em causa estava um recurso administrativo do Bordéus para evitar a despromoção da “primeira liga” francesa devido a problemas financeiros. A comunicação social francesa aponta a posição intransigente de Gérard Lopez nas negociações com os proprietários do Liverpool e Fenway Sports Group.

Online há

em

Já é oficial, o Girondins de Bordeux (Bordéus) foi despromovido da “primeira liga” francesa. Em comunicado o emblema francês esclareceu a situação “Embora as discussões tenham sido retomadas nos últimos dias, os representantes do FSG indicaram ontem, segunda-feira, 22 de julho, ao FC Girondins de Bordeaux e ao seu acionista o seu desejo de não prosseguir, apesar das garantias fornecidas por várias partes interessadas. Assim, na ausência de novos elementos, o FC Girondins de Bordeaux desistiu do recurso interposto contra a decisão da DNCG de 9 de julho de 2024“.

Em causa estava um recurso administrativo do Bordéus para evitar a despromoção da “primeira liga” francesa devido a problemas financeiros. A comunicação social francesa aponta a posição intransigente de Gérard Lopez nas negociações com os proprietários do Liverpool e Fenway Sports Group.

O Bordéus venceu uma Taça Intertoto em 1995; 6 campeonatos de França nas épocas 1949–50, 1983–84, 1984–85, 1986–87, 1998–99 e 2008–09; 4 Taças de França nas épocas 1940–41, 1985–86, 1986–87 e 2012–13; 3 Supertaças de França nas épocas 1986, 2008 e 2009; 3 Taças da Liga de França nas épocas 2001–02, 2006–07 e 2008–09; e um campeonato da 2ª divisão na época 1991–92.

O Bordeús e o Boavista são ambos propriedade de Gérard Lopez, e também em Portugal o clube “irmão” do Bordéus passa por sérios problemas financeiros.

LER MAIS

DESPORTO

BOAVISTA FC: A LIGA “VALIDOU” O CLUBE MAIS “INCUMPRIDOR” DO MUNDO (SEGUNDO A FIFA)

A pouco mais de duas semanas do arranque das ligas profissionais de futebol em Portugal o Boavista FC continua impedido de inscrever jogadores. A Liga de Clubes “validou” a inscrição do BFC nas competições profissionais após “rigorosos critérios à prova de bala“, mas a FIFA tem outros critérios e colocou o Boavista FC no pódio do clube mais incumpridor do mundo. A Rádio Regional analisou os dados disponibilizados pela FIFA em mais um episódio da “saga boavisteira”.

Online há

em

A pouco mais de duas semanas do arranque das ligas profissionais de futebol em Portugal o Boavista FC continua impedido de inscrever jogadores. A Liga de Clubes “validou” a inscrição do BFC nas competições profissionais após “rigorosos critérios à prova de bala“, mas a FIFA tem outros critérios e colocou o Boavista FC no pódio do clube mais incumpridor do mundo. A Rádio Regional analisou os dados disponibilizados pela FIFA em mais um episódio da “saga boavisteira”.

Os incumprimentos boavisteiros chegaram com estrondo à Federação Internacional de Futebol (FIFA) liderada por Gianni Infantino. Esta organização internacional composta por 211 Federações Desportivas (entre as quais a FPF de Portugal) tutela o futebol a nível mundial.

A FIFA dispõe de uma Plataforma Eletrónica que é atualizada semanalmente e onde publica todos os bloqueios aos clubes ditos “incumpridores”. Segundo a FIFA o objetivo desta Plataforma Eletrónica é “promover a transparência e manter a divulgação completa em relação às atividades dos órgãos judiciais da FIFA (…) a FIFA lançou uma ferramenta digital que lista os clubes sujeitos a proibições de registo” pode ler-se num comunicado da FIFA aquando do lançamento da plataforma em 11 de janeiro de 2024  .

A FIFA esclarece “Uma vez imposta a proibição de registo, o clube em causa ficará impedido de registar novos jogadores, quer a nível nacional quer internacional e seja como amadores ou como profissionais, durante todo o período de vigência da medida. O clube, portanto, só poderá inscrever novos jogadores novamente após cumprir a proibição na sua totalidade ou no caso de a proibição ser levantada pela administração da FIFA“.

Os especialistas do futebol consideram esta plataforma como uma “lista negra” de clubes incumpridores com atletas e/ou treinadores, ou seja, um “mural da vergonha” que nenhum clube desejará fazer parte. Também os países – federações – ficam muito mal na fotografia dizem os especialistas.

A Rádio Regional já tinha noticiado em 16 de junho 34 bloqueios em nome do BFC dos quais 9 “Until Lifted” (os mais graves). Poucos dias após a inscrição do BFC na Liga de Clubes, este número reduziu para 28, alimentando a “esperança” dos sócios/adeptos. Mas com o passar das semanas a situação agrava-se e a pantera registava hoje 30 bloqueios dos quais 11 “Until Lifted”.

Da análise aos dados disponibilizados pela FIFA a que a Rádio Regional teve acesso constata-se desde logo que todos os bloqueios estão registados em data posterior a outubro de 2022, ou seja, após a aquisição da SAD por parte de Gerard Lopez (por via da empresa Jogo Bonito CRL). Os sócios/adeptos que a Rádio Regional ouviu apontam o dedo ao “Gera” (Gérard Lopez como assim também é conhecido) como responsável pela situação a que o clube chegou apesar das promessas de investimento.


A “FOTOGRAFIA” MUNDIAL

A listagem foi atualizada hoje, e em todo o Mundo a FIFA regista 1023 bloqueios que resultam na sua generalidade do incumprimento das obrigações dos clubes perante atletas. Países como França, Alemanha e Brasil são verdadeiros bons exemplos. Já Portugal,  Marrocos, Grécia, China e Turquia são, por esta ordem, os maus exemplos a registar.

Países ditos “subdesenvolvidos” tais como Angola, Etiópia, Guiné, República Democrática do Congo deixam Portugal muito “mal visto” nesta “listagem” de clubes incumpridores. Nem a Ucrânia, em guerra, consegue ficar tão mal nesta “fotografia”.

No reinado de Pedro Proença, o Boavista FC com o seus 30 bloqueios à data de hoje –  já foram 34 recentemente – dos quais 11 “Until Lifted” é o clube que mais impedimentos regista em todo o mundo do futebol profissional.

Portugal regista um total de 41 bloqueios, dos quais 30 em nome do Boavista FC, 4 do Clube Desportivo das Aves 1930 (extinto), 2 em nome do CD Trofense, e um registado em nome do UD Leiria, UD Lanheses, SC Olhanense, Rio Maior SC, CD Santa Clara e Clube Desportivo Aves (total 41 bloqueios). Dos 16 registos “Until Lifted” 11 pertencem ao Boavista FC e os restantes ao extinto Clube Desportivo das Aves 1930.

Ao nível das Federações de Futebol:

  • França: 01 bloqueio(s), 00 registo(s) “Until Lifted”.
  • Alemanha: 01 bloqueio(s), 00 registo(s) “Until Lifted”.
  • Brasil: 01 bloqueio(s), 00 registo(s) “Until Lifted”.
  • Uzbequistão: 03 bloqueio(s), 00 registo(s) “Until Lifted”.
  • Angola: 06 bloqueio(s), 02 registo(s) “Until Lifted”.
  • África do Sul: 08 bloqueio(s), 03 registo(s) “Until Lifted”.
  • Guiné Equatorial: 03 bloqueio(s), 02 registo(s) “Until Lifted”.
  • Guiné: 04 bloqueio(s), 00 registo(s) “Until Lifted”.
  • Espanha: 05 bloqueio(s), 00 registo(s) “Until Lifted”.
  • Bangladesh: 05 bloqueio(s), 01 registo(s) “Until Lifted”.
  • Zâmbia: 07 bloqueio(s), 04 registo(s) “Until Lifted”.
  • Etiópia: 08 bloqueio(s), 01 registo(s) “Until Lifted”.
  • Cazaquistão: 09 bloqueio(s), 00 registo(s) “Until Lifted”.
  • Venezuela: 09 bloqueio(s), 01 registo(s) “Until Lifted”.
  • Itália: 10 bloqueio(s), 00 registo(s) “Until Lifted”.
  • Iraque: 11 bloqueio(s), 00 registo(s) “Until Lifted”.
  • Bielorrússia: 12 bloqueio(s), 0 registo(s) “Until Lifted”.
  • Chipre: 14 bloqueio(s), 00 registo(s) “Until Lifted”.
  • Argentina: 15 bloqueio(s), 03 registo(s) “Until Lifted”.
  • Malásia: 20 bloqueio(s), 04 registo(s) “Until Lifted”.
  • India: 20 bloqueio(s), 02 registo(s) “Until Lifted”.
  • Lituania: 22 bloqueio(s), 10 registo(s) “Until Lifted”.
  • Tunísia: 29 bloqueio(s), 08 registo(s) “Until Lifted”.
  • Bolívia: 29 bloqueio(s), 16 registo(s) “Until Lifted”.
  • Ucrânia: 26 bloqueio(s), 17 registo(s) “Until Lifted” (em guerra com a Rússia).
  • Arábia Saudita: 39 bloqueio(s), 03 registo(s) “Until Lifted”.
  • Portugal: 41 bloqueio(s), 16 registo(s) “Until Lifted”.
  • Marrocos: 43 bloqueio(s), 09 registo(s) “Until Lifted”.
  • Grécia: 65 bloqueio(s), 22 registo(s) “Until Lifted”.
  • China: 68 bloqueio(s), 30 registo(s) “Until Lifted”.
  • Turquia: 178 bloqueio(s), 95 registo(s) “Until Lifted”.

O top mundial dos “incumpridores”:

  • Boavista FC (Portugal): 30 bloqueio(s), 11 registo(s) “Until Lifted”.
  • Yeni Malatyaspor (Turquia): 26 bloqueio(s), 13 registo(s) “Until Lifted”.
  • Giresunspor (Turquia): 22 bloqueio(s), 06 registo(s) “Until Lifted”.
  • Altay (Turquia): 20 bloqueio(s), 17 registo(s) “Until Lifted”.
  • Adana Demirspor A.S. (Turquia): 15 bloqueio(s), 01 registo(s) “Until Lifted”.
  • San Jose DP (Bolívia):13 bloqueio(s), 10 registo(s) “Until Lifted”.
  • Erzurumspor FK (Turquia): 13 bloqueio(s), 08 registo(s) “Until Lifted”.
  • DC Motema Pembe (República Democrática do Congo): 13 bloqueio(s), 05 registo(s) “Until Lifted”.

Especialistas em Direito Desportivo esclarecem que apesar dos bloqueios “o Boavista FC pode comprar ou vender atletas (…) mas não os poderá inscrever e consequentemente também não os poderá utilizar até que a FIFA levante todos os bloqueios ativos“.


BRUNO LOURENÇO E OUTROS BATERAM COM A PORTA

No passado dia 28 de junho, tal como a Rádio Regional noticiou em primeira mão, Bruno Lourenço, atleta do BFC pediu rescisão contratual por, alegadamente,  incumprimento de retribuições. O atleta diz-se “farto dos incumprimentos constantes do Boavista FC“. A Rádio Regional sabe que o atleta vivia “limitações” pessoais e familiares devido aos alegados incumprimentos do Boavista SAD. A propaganda do Bessa nega e diz que avançará com processo disciplinar contra o atleta.

Outros atletas como Chidozie, Luís Santos e Pedro Malheiro optaram por outros clubes de competições de menor visibilidade tal como Turquia, Eslováquia e Estados Unidos.

O Boavista FC foi confrontado com estes factos e não prestou qualquer esclarecimento.


Vítor Fernandes

LER MAIS

MAIS LIDAS